Megadeth faz show curto, mas empolgante em São Paulo

Lucas Dantas |

Cada vez mais o Megadeth se mostra como o grupo de um homem só. Seria injusto dizer que os músicos não correspondem, mas Dave Mustaine é a alma e a essência da banda que completa 23 anos de carreira em 2008 e registra mais de 25 milhões de discos vendidos ao redor do mundo. E foi a nova e competente tropa de Mustaine que desembarcou em São Paulo na noite de 06 de junho, para  mais um show memorável no Credicard Hall, por várias razões.

Assista aos melhores momentos do show

Sem banda de abertura, o Megadeth subiu no palco às 22h20min tocando Sleepwalker, a música que inicia seu novo CD, United Abominations , lançado no ano passado. O som estava um pouco embolado e a guitarra de Mustaine não se fazia ouvir bem. Enquanto cantava, ele sinalizava para os roadies e apontava para o instrumento indicando algum problema. O público, por sua vez, só queria saber de pular e cantar junto.

Com músicos bem à vontade, a seqüência inicial sacudiu a casa emendando quase sem nenhuma pausa "Wake Up Dead", "Take no Prisioners" e "Skin O' My Teeth". Esta última cantada em alto e bom som pelo público.

O Credicard Hall não estava lotado, mas a pista não parou um minuto sequer no início e empolgava os músicos, ainda que estivessem cansados após virem de Curitiba para São Paulo de ônibus.

Quando ia começar a sexta música, Mustaine se irritou de vez e ficou tocando a guitarra sozinho para mostrar que o som não estava bom, mostrando que o problema era com seu transmissor sem fio. Assim que os primeiros acordes de "Kick The Chair" foram tocados ele se retirou do palco e deixou a banda terminar a introdução para sair em seguida.

Cerca de 10 minutos se passaram até que alguém da produção avisasse ao público que os músicos retornariam em breve. Quase 20 minutos depois Mustaine retoma a música de onde parou e segue o show até o final. O público talvez não saiba, mas esse problema custou o corte de "Gears of  War" do set original, além de eliminar os discursos de Mustaine nos intervalos das músicas. A banda acelerou para poder tocar tudo.

Os integrantes novos se mostraram extremamente eficientes, com destaque para o guitarrista Chris Broderick, que fez todos os solos idênticos aos álbuns, respeitando cada nota de seus antecessores. Em "Tornado Of Souls", o grande teste para cada guitarrista que entra no Megadeth, a sensação era de estarmos ouvindo o próprio criador do solo, Marty Friedman. O baixista James Lomenzo era o mais empolgado dos músicos, correndo de um lado para o outro, e o baterista Shawn Drover, o mais "antigo" dos novos, improvisou em algumas partes, mas nunca perdeu o ritmo e ainda fez seu solo em "Ashes In Your Mouth".

O show foi baseado nos discos "United Abominations", "Countdown to Extinction" e no clássico "Rust In Peace". O primeiro CD, "Killing Is My Business", e o grande fracasso comercial da banda, "Risk", não tiveram faixas incluídas no set de 17 músicas.

"Ashes in Your Mouth" foi a grande surpresa da noite, mas foi em "A Tout Le Monde" que o público soltou a voz. No segundo refrão, Mustaine saiu do microfone e deixou o Credicard Hall mostrar que sabe pelo menos umas quatro frases em francês. As novas "Washington is Next" e "Burnt Ice" foram bem recebidas pelo público, embora a primeira ainda sofresse do problema com a guitarra de Mustaine, além de um estranho sobe e desce da voz.

Com clássicos como "In My Darkest Hour", "Hangar 18" e "Sweating Bullets", o Megadeth fez muito bem o seu papel e seguiu o protocolo. O set foi certeiro para agradar os fãs e, tirando o problema técnico, a banda não cometeu erros.

O show se encerrou com o já clássico encore com "Shymphony of Destruction", "Peace Sells" e a arrebatadora "Holy Wars", tocada de forma mais rápida e que abriu várias rodas na pista.

Mustaine agradeceu a presença e a paciência do público e a banda se retirou sem nenhum bis. Um show bem mais curto do que o de 2005, mas que dificilmente deixou algum fã insatisfeito. Parafraseando o refrão de "Peace Sells", todos saíram pensando "if there's a new show, I'll be the first in line".

Veja abaixo o setlist completo do show:

"Sleepwalker"
"Wake Up Dead"
"Take No Prisioners"
"Skin O' My Teeth"
"Washington is Next"
"Kick The Chair"
"In My Darkest Hour"
"Hangar 18"
"She-Wolf"
"A Tout Le Monde"
"Tornado Of Souls"
"Ashes In Your Mouth"
"Burnt Ice"
"Sweating Bullets"
"Shymphony of Destruction"
"Peace Sells... But Who's Buying?"
"Holy Wars"

Compre músicas do Megadeth.

Leia mais sobre Megadeth .

    Leia tudo sobre: megadeth

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG