McCartney nega que Jackson cederia direitos

Segundo o músico, essas informações foram completamente inventadas

EFE |

O ex-Beatle Paul McCartney deu hoje seu parecer sobre a informações segundo as quais Michael Jackson queria entregá-lo sua parte sobre os direitos das canções do grupo, cujos 50% são de propriedade do "rei do pop" desde os anos 80.

Em declaração divulgada em seu site oficial, McCartney afirma: "há algum tempo, a imprensa apareceu com a ideia de que Michael Jackson iria deixar para mim sua parte sobre os direitos dos Beatles em seu testamento". Segundo o músico, essas informações "foram completamente inventadas".

"Agora a informação é de que estou desolado ao saber que não me deixou as canções. Isto é completamente falso. Não tinha pensado nem por um minuto que as primeiras informações fossem verdade e, portanto, as notícias de que estou desolado são também totalmente falsas. Não acreditem em tudo o que leem", escreveu o ex-Beatle.

Michael Jackson comprou a empresa Northern Songs, que era a proprietária da maioria das canções compostas por Paul McCartney e John Lennon como membros dos Beatles, em meados dos anos 80, em um leilão no qual ofereceu mais dinheiro do que o baixista do grupo.

Esses 50% sobre os direitos das músicas dos Fab Four é um dos ativos mais rentáveis e com garantia de futuro do falecido cantor, já que seu valor estimado está em torno dos US$ 480 milhões.

McCartney declarou que, embora a amizade que manteve com Jackson nos anos 80 tenha se debilitado ao longo do tempo, ambos nunca deixaram de se considerar amigos, e tem "uma lembrança carinhosa" do tempo que passaram juntos.

"Em momentos como este, a imprensa tende a inventar coisas. Portanto, de vez em quando sinto a necessidade de deixar as coisas claras", termina o comunicado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG