Martinho da Vila estreia este ano como homenageado de uma escola de samba paulistana

Martinho da Vila estreia este ano como homenageado de uma escola de samba paulistana. Aos 71 anos, o artista carioca estará no quinto e último carro alegórico da Tom Maior, que entra na avenida no sábado a partir das 2 horas.

Pela primeira vez em seus 35 anos, a escola terá um enredo afro. A comissão de frente, com seus 14 integrantes, será diferente dos anos anteriores. O conhecido ritmo frenético da Tom Maior dará lugar a uma apresentação teatral. Entre os participantes, três crianças.

O enredo Uma nova Angola se abre para o mundo! Em nome da paz Martinho da Vila canta a liberdade faz a relação entre as influências de Angola no País e a ligação do sambista com os angolanos. Ele é inclusive embaixador cultural de Angola no Brasil. Além de contar a dominação portuguesa e as influências angolanas por aqui, a escola vai falar de temas espinhosos. Um deles é a guerra civil no país. O conflito, que durou 27 anos, teve início após a libertação de Portugal em 1975.

Na avaliação do carnavalesco Marco Aurélio Ruffin foi uma coincidência feliz. As cores da escola, vermelho e amarelo, são as mesmas do país africano. O único diferencial é que na bandeira tem também o preto. O que não vai destoar porque é uma cor que combina com tudo, afirma. A madrinha da bateria será Adriana Bombom, que detém a faixa há cinco anos. A apresentadora Ana Hickmann vai ser a estrela do penúltimo carro. Ela estará fantasiada de diamante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.