Marisa Monte: "Meu novo disco é sobre desfrutar a vida"

Cantora fala sobre o álbum "O Que Você Quer Saber de Verdade", recém-lançado; leia entrevista

Augusto Gomes, iG São Paulo |

AE
Marisa Monte
"Ainda bem que agora encontrei você / Eu realmente não sei / O que eu fiz pra merecer você / Porque ninguém dava nada por mim / Quem dava, eu não estava a fim / Até desacreditei de mim".

Os versos abrem a música "Ainda Bem", primeira faixa de trabalho do novo álbum de Marisa Monte , "O Que Você Quer Saber de Verdade". Uma canção sem vergonha nenhuma de ser romântica, simples, popular.

Mas, na opinião da própria Marisa Monte, isso não significa uma guinada. "Eu não acho que esse disco seja mais popular do que os anteriores", afirmou a cantora, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira.

"Ele tem muitas músicas que podem se comunicar com bastante gente. Mas essa é uma característica que eu trago desde o meu primeiro disco. Essa simplicidade sempre existiu no meu trabalho."

Segundo Marisa, o que diferencia o novo álbum dos anteriores é a felicidade . "Acho que ele é um disco solar, de bem viver, de desfrutar a vida", explica. Uma das músicas inclusive chama-se "Seja Feliz". "Seja legal com seu amor / Seja legal sem pudor / Seja gentil com sua figura / Seja gentil sem frescura", canta. Ela conta que essas canções mais solares surgiram naturalmente: "Não foi uma decisão consciente".

Veja letras e ouça músicas de Marisa Monte

"O Que Você Quer Saber de Verdade" tem 14 faixas. Dessas, nove foram compostas por Marisa com Arnaldo Antunes ou Carlinhos Brown (ou com os dois juntos), ambos parceiros de longa data da cantora (fizeram juntos o projeto Tribalistas). Jorge Ben, um de seus compositores favoritos (ela já regravou "Balança Pema", em 1994, e "Cinco Minutos" em 2000), também reaparece, desta vez com uma versão da bela "Descalço no Parque".

No time das novidades, está Rodrigo Amarante, do Los Hermanos. Com ele, Marisa compôs e dividiu os vocais em "O Que Se Quer". "A gente sempre foi admirador mútuo. Já havíamos gravado uma versão de 'Nu com a Minha Música', do Caetano Veloso, para o projeto Red Hot + Rio", conta. Deu tão certo que logo depois veio "O Que Se Quer". "Foi ótimo. Queremos fazer mais coisas no futuro", adianta.

nullQuem também faz participação especial no disco é o grupo Café de los Maestros. A parceria veio depois que Marisa cantou num show dos argentinos em São Paulo. Uma das músicas que ela interpretou foi "Lencinho Querido", do repertório de Dalva de Oliveira. "O arranjo deles era lindo e eu não queria que isso ficasse perdido, sem um registro sequer para eternizar", explica.

É o primeiro trabalho de Marisa desde 2006, quando ela lançou a dupla "Infinito Particular" e "Universo ao Meu Redor". E chega num momento de crise da indústria fonográfica. "A venda de CDs hoje em dia é irrisória. É um formato que está cada vez perdendo mais mercado", reconhece. Este fenômeno inclusive faz com que ela pense em, no futuro, não lançar mais discos.

"Acho muito legal a ideia de lançar uma música ou outra, sem ter que esperar para reunir tudo em um disco", revela. Mas, por enquanto, ela ainda pensa sua obra no formato de discos. "Este álbum não é apenas um grupo de canções. Ele tem um ponto de ligação, um conceito. Nesse sentido, ele é um álbum, assim como 'Tribalistas' era", explica. É um reflexo do modo que Marisa escuta música. "Prefiro ouvir álbuns inteiros", afirma.

Siga o iG Cultura no Twitter

"O Que Você Quer Saber de Verdade" chegou às lojas nesta semana, mas Marisa só volta aos palcos em 2012. "Eu devo começar a pensar em turnê só no ano que vem", adianta. Quanto a um possível DVD ao vivo, também não há nada definido. Mas a cantora gosta da ideia de transmitir uma apresentação pela internet. "Por mais que faça turnês, nunca poderei estar em todos os lugares. A internet é um modo de resolver isso."

    Leia tudo sobre: Marisa MonteMPBEntrevista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG