Maria Bethânia grava DVD ao vivo no Rio de Janeiro

Shows acontecem dias 12 e 13 de março no Vivo Rio

Augusto Gomes, iG São Paulo |

A cantora Maria Bethânia grava, nos próximos dias 12 e 13, seu novo DVD ao vivo no Rio de Janeiro. Os shows fazem parte da mais recente turnê da artista, intitulada "Amor Festa Devoção". Os discos Encanteria e Tua , lançados simultaneamente em setembro do ano passado, formam a base do repertório das apresentações.

Além das canções dos dois novos álbuns, o roteiro traz preciosidades como "Queixa" e "Dama do Cassino", duas composições de Caetano Veloso nunca gravadas por ela, e "Balada de Gisberta", do português Pedro Abrunhosa. Sucessos como "Explode Coração" (Gonzaguinha), "Vida" (Chico Buarque) e "Não Identificado" (Caetano) também estão presentes.

O nome "Amor Festa Devoção" é uma homenagem à mãe da cantora, Dona Canô. "São palavras que me dão norte e que têm como subtexto a fé, a esperança e a caridade, características fortes em minha mãe", explica Bethânia. O espetáculo tem direção e cenário de Bia Lessa, roteiro da própria cantora com Fauzi Arap e iluminação de Lauro Escorel.

Apesar de ter prometido algumas novidades nesta reestreia da turnê, o roteiro não deve ter muitas diferentes em relação aos shows que correram o Brasil no final do ano passado. A apresentação começa em tom mais ameno, com a recorrente "Vida" e canções de Encanteria ("Feita na Bahia" e "Coroa do Mar") e Tua ("Fonte" e "É o Amor Outra Vez").

A atmosfera muda quando Bethânia, quase de sopetão, canta uma versão a capella de "Explode Coração", um de seus maiores sucessos, e "Queixa", que Caetano havia composto especialmente para ela mas ela nunca havia gravado. O primeiro ato termina com a surpreendente "Balada de Gisberta", do português Pedro Abrunhosa.

Na volta de Bethânia no segundo ato, outro grande momento: "Não Identificado", também de Caetano. No palco, a cantora conta que essa era a música favorita de seu pai, José, e aproveita para revelar que o espetáculo é dedicado a sua mãe, Dona Canô.

O roteiro continua com "É o Amor" (Zezé di Camargo), "Bom Dia" (Herivelto Martins), "Bandeira Branca" (Max Nunes e Laércio Alves), "Pronta pra Cantar" (Caetano Veloso) e "O que É o que É" (Gonzaguinha). A costura consegue fazer com que essas canções, tão diferentes entre si, pareçam continuações naturais umas das outras.

O cenário de Bia Lessa é um espetáculo à parte. O chão é forrado de pétalas de rosa vermelhas. Atrás da cantora, revezam-se uma enorme estrutura também repleta de rosas e um painel com dezenas de fotos de Santo Amaro da Purificação. Por esse palco, Bethânia move-se descalça como sempre, ora cantando de pé, ora sentada nos cantos.

Depois de cantar no Rio de Janeiro (no Vivo Rio, dias 12, 13 e 14 - a gravação do DVD acontece apenas nas duas primeiras noites), Bethânia segue para São Paulo. Haverá shows no Citibank Hall, de 09 a 11 de março.

    Leia tudo sobre: maria bethania

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG