Madonna promete desafiar lei contra gays na Rússia

"Não fujo da atrocidade", afirma cantora, que vai questionar pena contra "propaganda homossexual" em vigor em São Petersburgo

iG São Paulo com agências |

Reuters
Madonna: cantora pode ser multada na Rússia
Madonna prometeu desafiar uma lei recente contra a "propaganda" homossexual na cidade natal de Vladimir Putin, São Petersburgo, em sua próxima turnê pela Rússia, em agosto. Chamando a legislação, que impõe multas para quem promover a homossexualidade entre menores, de "atrocidade ridícula" em sua página no Facebook, ela disse que iria resolver o problema durante o seu show.

"Não fujo da atrocidade. Eu irei a São Petersburgo para falar pela comunidade gay, para apoiar a comunidade gay", disse ela. Sua turnê russa começa meses após a abertura de sua academia particular em Moscou, cujo nome vem do álbum dela de 2008, "Hard Candy".

Siga o iG Cultura no Twitter

Em resposta ao anúncio de Madonna, um deputado governista afirmou que se a cantora fizer "propagandas homossexuais" durante seu show em São Petersburgo, ela será multada.

"Se a Madonna ou algum dos organizadores infringirem essa lei, eles também serão punidos, disse o deputado Vitali Milonov, em declarações à agência Interfax.

TV iG: assista ao novo clipe de Madonna, "Girl Gone Wild"

O homossexualismo, punido com penas de prisão na União Soviética, só foi descriminalizado na Rússia em 1993, mas grande parte da comunidade homossexual continua escondida já que o preconceito é forte. Neste mesmo ano, a homossexualidade também deixou de ser considerada uma doença mental no país.

A legislação foi assinada em março pelo prefeito de São Petersburgo e aliado de Putin, Georgy Poltavchenko. A lei impõe uma multa de até 500 mil rublos (R$ 31 mil) para quem espalhar o que a lei chama de "propaganda homossexual", que poderia "prejudicar a saúde, desenvolvimento moral e espiritual do menor de idade". A Igreja Ortodoxa Russa espera estender a penalidade por todo o país.

A lei tem causado preocupações na comunidade gay, que teme que ela poderia ser usada para reprimir as raras demonstrações públicas na Rússia de homossexualidade, como as paradas gays. Ativistas de direitos dos homossexuais em Moscou e São Petersburgo programaram duas passeadas durante a turnê de Madonna, de acordo com o site GayRussia.eu.

Inúmeras tentativas de realizar protestos gays em Moscou, considerados ilegais pelas autoridades, acabaram em dezenas de prisões e confrontos com vários cristãos ultra-ortodoxos que dizem que os homossexuais devem ser punidos ou tratados em hospitais por "doença".

Leia também: "As pessoas compreendem mal o meu poder", afirma Madonna ao iG

Em 2010, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos multou a Rússia por banir paradas homossexuais em Moscou, no que os ativistas dos direitos gays descreveram como uma vitória histórica.

Madonna provocou protestos de ativistas da Igreja Ortodoxa Russa em uma visita a Moscou em 2006, quando ela cantou "Live to Tell" em um crucifixo enquanto usava uma coroa de espinhos.

* com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: madonnarússialei anti-gay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG