Lily Allen faz show alegre e charmoso em São Paulo

Cantora apresentou segundo álbum na íntegra além de hits do CD de estreia e versão para Womanizer

Juliana Zambelo |

Lily Allen realmente gosta muito de seu segundo disco. Esse trabalho ¿ Its Not Me, Its You , lançado em fevereiro deste ano ¿ foi apresentado na íntegra pela jovem inglesa na noite desta quarta-feira em São Paulo. O show, único na capital paulista, foi realizado no Via Funchal, teve cerca de uma hora e quinze minutos de duração e 18 músicas; delas, apenas quatro foram tiradas do álbum de estreia da cantora.

Fotoshow: veja imagens do show de Lily Allen no Via Funchal

Esta foi a segunda passagem de Allen por São Paulo. A primeira, que pode facilmente ser chamada de desastrosa, aconteceu em 2007 e foi capitaneada por uma cantora estreante despreparada e desinteressada que errou as letras de mais da metade de suas canções. Desta vez, Lily se empenhou muito mais e provou ter aprendido um pouco da arte de dominar um palco nesses dois anos que se passaram.

A apresentação começou com pouco mais de dez minutos de atraso. Lily veio de cabelo preso, short curto, salto altíssimo e pernas bronzeadas à mostra. No rosto, uma pintura em verde e amarelo remetia à maquiagem dos dubladores do tradicional programa Qual É a Música, de Silvio Santos, mas nem isso conseguia estragar a sua beleza.

O show foi aberto por "Everyone's at It", seguida de "I Could Say" e "Never Gonna Happen", todas do CD recente. O público não lotava o Via Funchal, mas reagiu com muita empolgação e energia à aparição da cantora. Allen sentiu a vibração e elogiou: Essas foram as melhores três primeiras músicas que eu já tive. Obrigada.

Lily anda bastante pelo palco, dança e joga charme o tempo todo. Para dar conta do recado, ela troca discretamente os sapatos de salto por tênis confortáveis e, passando longe de uma imagem de boa moça, fuma e bebe no palco. Ela é acompanhada por uma banda enxuta composta por guitarra, baixo, bateria e teclados complementados por muitas bases pré-gravadas. Em alguns momentos, a voz de apoio à de Allen fica aparente, mas seu público não pareceu se importar.

A banda toca alto, pesa a mão em diversas faixas apresentando versões mais robustas do que as originais, mas nesse processo o pop esperto de Allen perde detalhes e sacadas. Reggaes se acabam em trance, country ganha batidas eletrônicas, pop vira disco punk e o público dança muito e canta junto do início ao fim, arrancando sorrisos da cantora.

De seu debut, Lily pinçou apenas os hits Smile, LDN, "Everything's Just Wonderful" e "Littlest Things". Ela também cantou a sua famosa versão para Oh My God, do grupo Kaiser Chiefs, e fez uma leitura pesada de Womanizer, de Britney Spears. Um show simples, humilde em termos de recursos de palco, mas alegre, dançante e coeso.

Lily Allen faz mais uma única apresentação no Brasil. Ela canta no HSBC Arena, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira.

Confira a lista de faixas da apresentação:

"Everyone's at It"
"I Could Say
"Never Gonna Happen" 
"Oh My God" (cover de Kaiser Chiefs)
"Everything's Just Wonderful"
"22"
"Him"
"Who'd Have Known"
"LDN"
"Back to the Start" 
"He Wasn't There" 
"Littlest Things"
"Chinese"
"Smile"
"The Fear"

Bis
"Womanizer"
"Fuck You"
"Not Fair"

    Leia tudo sobre: britney spearskaiser chiefslily allen

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG