Jerry Lee Lewis completa 75 anos, aparentemente atônito

Monossilábico, pioneiro do rock divulga seu novo álbum com show e entrevista

Reuters |

Getty Images
Álbum aos 75 anos: Jerry Lee Lewis lança "Mean Old Man" com participações de Mick Jagger e Ringo Starr
Conhecido pelo apelido de "The Killer" (O Matador), Jerry Lee Lewis completa 75 anos nesta quarta-feira dando a impressão de que restam poucas balas em sua cartucheira.

O músico veterano ainda consegue tocar "Whole Lotta Shakin' Goin' On" e "Great Balls of Fire" no piano e acaba de lançar um álbum novo com a ajuda de gente como Mick Jagger, Keith Richards, Ringo Starr, Kid Rock e Willie Nelson. Mas uma sessão de perguntas e respostas com o mito do rock 'n' roll feita na última terça-feira, no Museu Grammy, deixou uma sensação incômoda.

Durante toda a entrevista Lewis ficou sentado ao piano, com o rosto inexpressivo, e resmungou respostas breves às perguntas de um moderador - questões que ele já tinha ouvido um milhão de vezes antes. Quando questionado sobre outro mito do rock, Chuck Berry, o músico foi curto no elogio: "Incrível, fantástico." Depois ainda respondeu sobre sua impressão ao conhecer os Beatles: "Esses garotos vão ficar famosos", respondeu.

Lewis está fazendo a divulgação do álbum "Mean Old Man" (algo como "velho malvado", em tradução livre), cuja faixa-título, escrita por Kris Kristofferson, vem gerando algumas gargalhadas. Lewis foi alguém visto como selvagem na década de 1950, e seus fãs atuais ainda gostariam de enxergá-lo assim.

Divulgação
Capa do novo disco "Mean Old Man"
Será que ele é de fato um "mean old man"? "Não", responde rindo. "Apenas ouvi o demo da canção e falei 'esta vai ser um sucesso'."

O músico nem sequer sabia que a canção, que tem a participação de Ronnie Wood, guitarrista dos Rolling Stones, se tornaria o título do novo trabalho.

Lewis teve dificuldade em recordar-se dos nomes dos outros músicos convidados que contribuíram para o álbum e evitou responder adequadamente a uma pergunta longa sobre seu cover de "Roll Over Beethoven", de Chuck Berry, dizendo apenas que a inclusão da canção foi uma decisão da gravadora.

O cérebro por trás do projeto foi Phoebe Lewis, sua filha e empresária, e os produtores do disco, o baterista Jim Keltner e o herdeiro imobiliário Steve Bing.

Keltner disse que, do mesmo modo como Lewis não gosta de desperdiçar palavras, ele desperdiçou pouco tempo no estúdio. A maioria das canções foi gravada em uma só tomada, como foi o caso de "Whole Lotta Shakin' Goin' On" e "Great Balls of Fire", que Lewis tocou na terça-feira.

"Quando entramos no estúdio com Jerry Lee, ele tomou conta da gravação", disse Keltner. "Ele se sentou e tocou, nós o acompanhamos e Deus que ajudasse os guitarristas."

Aludindo ao título do álbum anterior de Lewis com a participação de outros astros, "Last Man Standing" (último homem em pé), de 2006, Keltner descreveu o roqueiro como "o último homem em pé. Restaram três caras daquela era: Chuck, Little Richard e Jerry Lee. São poucos."

"Quando você tem esses grandes músicos originais, que criaram essas coisas, ainda vivos, e você é convidado a fazer parte da criação, ou se surge uma oportunidade para você se convidar para fazer parte, você não deixa a oportunidade passar."

Assista abaixo ao vídeo sobre o aniversário de Jerry Lee Lewis:

    Leia tudo sobre: Jerry Lee Lewis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG