Jair Oliveira e Mariana Aydar cantam samba em NY

Brasileiros foram atração no final de semana do Brasil Fest, no Instituto de Música Mundial em Nova York

Jon Pareles, The New York Times |

Geração após geração, o samba tem temperado o pop brasileiro. Mariana Aydar e Jair Oliveira, dois cantores em ascensão vindos da cidade de São Paulo, estrearam sua carreira solo no Espaço Symphony Space do Instituto de Música Mundial em Nova York durante um festival de duas noites dedicado à cultura brasileira, usando o samba como base para sua criação pessoal. "Eles dizem que eu canto samba", cantou Oliveira na noite de sábado, "mas o samba é que me canta".

Oliveira, que fará 34 anos na terça-feira, é filho de Jair Rodrigues, um dos maiores cantores de samba do Brasil. Ele se tornou uma estrela mirim no programa "Balão Mágico", composto pela Turma do Balão Mágico, antes de completar 12 anos. Depois, estudou música e produção na Escola de Música Berklee em Boston antes de voltar à carreira de compositor, produtor e cantor no Brasil.

Oliveira cantou sobre a música, a cultura brasileira e africana e, principalmente, sobre o amor, em uma voz escondida por trás de um tom amigável. Ele pediu que a plateia cantasse junto o refrão de "Bye Bye Saudade", uma música bilíngue nova em seu repertório. "É fácil", ele disse, e parecia ser, até que a plateia se uniu ao coro sem conseguir acompanhar nem mesmo as mais simples sílabas de "bye-bye-bye-bye".

O cantor trocou a variada e por vezes experimental produção de seu álbum por uma simples e quase antiquada banda de pop samba: guitarra, baixo, bateria e um piano elétrico. Nestes arranjos, infelizmente, muitas das músicas de Oliveira revelam um tempero tradicional: progressões de acordes e melodias típicas do samba.

Aydar, cujo show na noite de sexta-feira foi sua estreia em solo americano, também tem um pai envolvido no cenário musical, apesar de menos conhecido: Mario Manga, do grupo avant-garde Premê.

O primeiro álbum de Aydar foi lançado em 2006. O próximo, ela disse no palco, está concluído, porém ainda não foi lançado. Aydar é cantora, mas não compositora e seu repertório percorre a música popular do passado e presente de seu país.

Ela também cantou a respeito da cultura brasileira e da música como um caminho de vida. Sua voz é suave e atravessa as notas com facilidade e doçura.

    Leia tudo sobre: jair oliveiramariana aydar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG