Iron Maiden e fãs se encontram em première no Rio

Cerca de 600 fãs assistiram neste sábado à pré-estreia mundial do documentário ¿Flight 666¿

Anderson Dezan, do Último Segundo |

Cerca de 600 fãs assistiram neste sábado à pré-estreia mundial do documentário Flight 666, sobre a banda de heavy metal Iron Maiden, no cinema Odeon, no centro do Rio de Janeiro. A sessão, com ingressos esgotados (cada bilhete custava R$ 80 ¿ inteira), contou com a presença dos integrantes do grupo inglês e dos diretores do filme, Sam Dunn e Scot McFadyen (Metal: A Headbangers Journey e Global Metal).

Flight 666 acompanha a primeira parte da turnê mundial do Iron Maiden, Somewhere Back in Time, inspirada na histórica World Slavery Tour. A excursão passou por cinco continentes, totalizando 23 shows em apenas 45 dias. A banda percorreu 70 mil quilômetros a bordo de um Boeing 757 batizado Ed Force One e pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson. A aeronave transportou 70 membros da equipe e 12 toneladas de equipamento. Sua estreia oficial está prevista para o dia 21 de abril.

Há três anos começamos esse projeto e não sabíamos onde ia dar e nem se conseguiríamos fazê-lo, contou Dickinson durante a pré-estreia.

Em um pouco mais de duas horas, o filme mostra os bastidores da turnê, a rotina cansativa e os momentos de descontração nas horas de folga. Através do documentário, o fã pode conferir alguns detalhes da passagem do Iron Maiden em 2008 por cidades como Bombaim, na Índia, Sydney, na Austrália, Tóquio, no Japão, Los Angeles, nos Estados Unidos, Bogotá, na Colômbia, e Santiago, no Chile.

Fãs vindos de Santa Catarina prestam homenagem à banda

No entanto, para os brasileiros, o destaque fica pelo registro das apresentações em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre. Nesse trecho, o longa mostra imagens do primeiro show do sexteto no Brasil, em 1985, no Rock in Rio, e o irreverente pastor evangélico da Grande São Paulo que possui 72 tatuagens referentes ao grupo e tem um filho chamado Steve Harris, em homenagem ao baixista fundador do Iron Maiden.

A empolgação em estar no Brasil não diminui cada que vez que voltamos. Pelo contrário, só aumenta, confessa Bruce Dickinson no documentário. Essa turnê não é uma celebração às músicas antigas. É a celebração aos novos fãs que não ouviram essas músicas ao vivo, analisa.

Embalado por grandes sucessos, entre eles Fear of the Dark, The Trooper, Hallowed be thy Name e Aces High, o documentário faz com que você se sinta na plateia do show, seja pela qualidade do som, seja pelos espectadores-fãs que cantam junto no cinema, batem palmas e vibram. Em resumo, Flight 666 é um ótimo programa para os fãs do Iron Maiden e uma boa pedida para quem não conhece o trabalho do grupo e quer se livrar dos preconceitos com o heavy metal.

Fãs fazem fila

Mesmo com o alto preço cobrado pela sessão, diversos fãs esgotaram os ingressos para conferir a pré-estreia do documentário. A enfermeira Lilian Alencar, de 26 anos, veio com o irmão Marcelo, de 20 anos, de Macaé, no norte fluminense, para conferir o longa e, à noite, o show do Iron Maiden na Apoteose.

Ver a pré-estreia mundial de um filme sobre a banda que você adora não tem preço. Pagaria o valor que fosse para estar aqui, diz. Amei o documentário. Me emocionei muito. O filme vem confirmar o que eles passam para a gente no palco: a paixão pelo que fazem e o respeito que têm pelos fãs.

Fã Adriano Ribeiro e os amigos posam em frente ao pôster da banda no Cine Odeon

O diretor de conteúdo Adriano Ribeiro, de 36 anos, assistiu ao show do Iron Maiden na quinta-feira em Manaus e ainda marcará presença no Rio e em São Paulo. Ele revela que estourou o cartão de crédito e gastou cinco vezes mais o que ganha. Para Adriano, o preço do ingresso da pré-estreia também valeu cada centavo.

Estou fazendo essa loucura porque sei que isso [a banda] vai acabar. E isso está próximo, conta. Com a presença da banda, esse valor [da sessão] está de graça.

Já o universitário Dayê Sovinski, de 24 anos, veio de Curitiba com três amigos para o show no Rio e para conferir a pré-estreia de Flight 666. Ouvi Iron Maiden pela primeira vez quando um amigo me mostrou Fear of the Dark. Foi algo surreal, inexplicável, lembra. O estudante conta que a apresentação da banda na Apoteose será a quinta que ele assistirá. Todo show é diferente, nunca é igual. Por isso, a expectativa é sempre a melhor.

Enquanto muitos fãs faziam fila do lado de fora do cinema Odeon na esperança de, pelo menos, tirar uma foto com um dos integrantes do grupo, já que não conseguiram comprar um ingresso, o professor universitário Pedro Lopes, de 34 anos, acabou ganhando o seu. Minutos antes da sessão iniciar, um rapaz passou oferecendo três convites que estavam sobrando e, obviamente, ele não recusou. Comecei a ouvir Iron Maiden com 14 anos. É uma das bandas que me faz sentir mais emoção.

Depois de se apresentar na Praça da Apoteose, no Rio, neste sábado, o Iron Maiden segue para São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Recife. Confira os detalhes da turnê na nossa agenda de shows.

    Leia tudo sobre: iron maiden

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG