Ingressos para shows devem ser ressarcidos

Ingleses se questionam sobre o que acontecerá com os ingressos que compraram

Carolina Ribeiro Pietoso, repórter iG em Londres |

"Eu passei quatro horas na fila e passaria outras quatro se fosse preciso, mas garanti meu ingresso", conta Edwina Dowling. "O que me deixa mais triste é que ele não pode se despedir". Como ela, milhares de pessoas, ainda abaladas com a morte do "Rei do Pop", se questionam sobre o que acontecerá com os ingressos que compraram para a série de 50 shows de despedida que Michael Jackson faria em Londres.

Os ingressos para esta que seria sua última passagem pelos palcos foram esgotados em cerca de quatro horas e rapidamente chegaram ao mercado paralelo, onde eram vendidos por mais de 1.000 libras (cerca de US$ 1.400).

"Eu comprei quatro ingressos. Um para mim, um para minha namorada e outros dois para vender", disse Tom Willford. "Este tipo de evento vale ouro quando a gente consegue comprar entradas".

No entanto, as especulações a respeito do cantor estar em condições de realizar tantos shows começaram assim que o evento foi anunciado. Segundo o jornal "The Times", Michael cedeu à pressão de pessoas as quais devia dinheiro.

"Não sei como vou fazer 50 apresentações. Estou muito nervoso", o cantor chegou a dizer.

Em meio ao ceticismo sobre a possibilidade de que Michael estivesse em condições de cumprir essa maratona de shows, a AEG Live, organizadora do evento, disse estar disposta a "garantir" ela mesma os espetáculos. A empresa, pode sofrer perdas de até 300 milhões de libras (cerca de US$ 495 milhões) com a morte do cantor.

"Eu sabia que a compra era um negócio arriscado porque ninguém tinha como garantir que ele realmente faria os shows", disse Edwina. "Mas eu nunca o vi ao vivo e este seria o espetáculo da minha vida caso acontecesse. Eu tinha que arriscar".

Nesta semana, a AEG Live anunciou que colocaria à venda mais entradas para os shows, que estavam previstos para começar no dia 13 de julho.



Ressarcimento

A morte de Michael Jackson implica na devolução do valor total dos ingressos e da taxa de serviço por parte da Ticketmaster, responsável por sua venda e distribuição. A companhia avisa que informações sobre a devolução do valor dos ingressos serão divulgadas em breve.

No site do auditório O2 Arena, onde Michael Jackson se apresentaria, se lê o aviso: "Neste momento nossos pensamentos estão com os filhos, familiares e amigos de Michael Jackson. Anunciaremos informações sobre os ingressos quando possível".

O site de venda paralela Seatwave, que negociou cerca de 10.000 ingressos por valores muito acima daqueles impressos nos ingressos, também pode ter que ressarcir os compradores. No entanto, nenhuma informação foi divulgada até o momento.

"Eu acho que o processo dever ser razoavelmente fácil", disse Edwina. Tom Willforf concorda e diz que pretende guardar um dos ingressos de recordação. "Eu tenho quatro, então vou ficar com um como lembrança do show que nunca aconteceu".

Além dos ingressos, a AEG Live, companhia do Anschutz Entertainment Group, terá que se responsabilziar por um auditório vazio durante quase nove meses.

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG