Grupo japonês revela que integrante foi criada no computador

Cantora foi projetada a partir de partes do corpo de seis outras garotas da famosa banda

iG São Paulo |

Reprodução
Aimi Eguchi, a integrante digital do AKB48
Uma polêmica domina o noticiário pop no Japão. A integrante de um dos mais conhecidos grupos do país não é uma pessoa real, mas criação de computador.

A garota foi projetada a partir de partes do corpo de seis outras meninas da banda.

Aimi Eguchi, a nova integrante do grupo AKB48, apareceu pela primeira vez, há cerca de um mês, em uma propaganda da marca de doces Glico.

Desde o primeiro dia que foi ao ar o comercial gerou debates entre os fãs na internet. Eguchi, apresentada como uma adolescente de 16 anos, aparecia no frame final do vídeo e provocou curiosidade instantânea. Ela ainda estampou a capa de uma revista no dia 13 de junho.

Algumas pistas de que a garota não era de verdade começaram a ser desvendadas pelos fãs. A data de nascimento de Eguchi, 11 de fevereiro, por exemplo, é a mesma da fundação da Glico em 1922.

Entre as informações liberadas sobre Eguchi estava a de que seu objetivo era "virar ídolo pegando partes de minhas colegas de banda". Para completar as suspeitas, algumas das integrantes do AKB48 declaram não ter conhecido Eguchi até a propaganda.

A história foi revelada com a publicação do vídeo "O Nascimento de Eguchi Aimi", no site oficial da Glico. A voz de Eguchi era feita por uma menina de 15 anos chamada Yukari Sasaki.

O AKB48 é um grupo criado em 2005 pelo produtor Yasushi Akimoto. Baseado em um teatro no bairro de Akihabara, em Tóquio, ele se apresenta diariamente no local. Para isso, possui 58 integrantes, divididas entre quatro grupos que se revezam. O AKB48 entrou para o Guinness Book como maior grupo de pop da história.

Veja abaixo o vídeo sobre a criação de Eguchi:

    Leia tudo sobre: japãoakb48pop japonês

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG