Green Day se recusa a mudar CD para o Wal-Mart

Billie Joe Armstrong não atende pedido de censura do Wal-Mart

Redação iG Música |

O trio punk Green Day decidiu não acatar o pedido de censura de seu novo álbum, 21st Century Breakdown , feito pela rede norte-americana de supermercados Wal-Mart. Isso implica na não distribuição do disco em todas as lojas.

"Eles insistem que os artistas censurem seus trabalhos para poderem ser vendidos lá. E nós dissemos não. Nunca fizemos isso antes. Faz você se sentir como se vivesse em 1953 ou algo do tipo", afirmou o vocalista Billie Joe Armstrong.

Apesar de ter alcançado o primeiro lugar da parada de álbuns norte-americana sem a ajuda do Wal-Mart, o músico concordou que bandas menores não podem se dar ao luxo de recusar esse tipo de pedido e perder a distribuição na maior rede de varejo dos Estados Unidos.

"O que isso significa para um garoto que está tentando mostrar suas ideias lançando um disco pela primeira vez? É como se fosse um jogo que você precisa jogar. Você precisa se recusar a jogar", encerrou.

Essa não é a primeira vez que o Wal-Mart se recusa a comercializar o álbum de um artista. Trent Reznor, do Nine Inch Nails, citou a rede ao reclamar da censura que sofreu pela Apple, e o baixista do Manic Street Preacher, Nicky Wire, levantou uma preocupação semelhante em relação a capa de seu novo trabalho .

    Leia tudo sobre: green day

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG