Gravadora já estuda estratégia para discos de Whitney Houston

Assim como fez com Michael Jackson, Sony pensa em relançar álbuns e material inédito

Reuters |

Executivos da Sony Music vão se reunir nesta semana em Nova York para determinar uma estratégia de marketing para os nove álbuns, trilhas sonoras e coletâneas da cantora pop Whitney Houston, que morreu no sábado aos 48 anos .

Os executivos também irão discutir a intensificação dos esforços de marketing para "Sparkle" , um filme de baixo orçamento que traz no elenco Whitney e que será lançado em agosto, e para a trilha sonora na qual ela canta duas canções, acrescentou uma pessoa inteirada das conversas.

Siga o iG Cultura no Twitter

A morte de Whitney é a segunda em três anos de um artista de primeira linha da Sony Music. Em 2009, após a morte de Michael Jackson , a empresa sediada em Nova York fez um marketing agressivo dos álbuns anteriores do cantor, vendendo mais de US$ 8,2 milhões nos EUA e mais de US$ 35 milhões no mundo, segundo a Billboard.

Leia também: "Whitney era muito espiritual", diz brasileiro que tocou com a cantora

Os executivos da Sony vão esperar até que os resultados da autópsia sejam conhecidos para relançar os álbuns ou comercializar abertamente o legado da cantora, segundo uma das pessoas familiarizadas com as conversas. Também está sendo analisado um show-tributo com outros artistas da Sony com quem Whitney trabalhou no passado.

"A morte de Michael Jackson foi uma verdadeira tempestade para a Sony porque ele estava se preparando para uma turnê mundial que já estava obtendo bastante publicidade", disse Lance Grode, ex-chefe de questões empresariais da MCA Records, hoje Universal Music.

Ouça dez dos maiores sucessos de Whitney Houston

"Você não quer parecer ganancioso demais, mas também quer capitalizar em cima da atenção que a estrela está tendo agora".

    Leia tudo sobre: whitney houstonmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG