Foster the People: 'A atenção em cima da gente nos amedrontou'

Banda norte-americana inicia mini-temporada brasileira nesta quarta; leia entrevista ao iG

Thiago Ney, iG São Paulo |

Dono de de algumas das músicas mais representativas de 2011, o Foster the People inicia mini-temporada no Brasil. O trio toca nesta quarta (dia 4) no Circo Voador, no Rio; no Cine Joia, em São Paulo, na quinta (com ingressos esgotados); e encerra a passagem pelo Brasil no domingo, dentro do festival Lollapalooza . (Mas não só: integrantes da banda fazem DJ set no clube paulistano Yacht na sexta.)

Siga o iG Cultura no Twitter

Getty Images
O Foster the People durante show em Los Angeles em fevereiro de 2012

"Pumped Up Kicks", "Call It What You Want", "Helena Beat", ""Don't Stop (Color on the Walls)", "Houdini". Não são poucos os hits que recheiam "Torches", primeiro disco do Foster the People, lançado em maio do ano passado.

Acesse a ferramenta de shows do iG

"O segredo das músicas? Não sei... Bem, elas têm um gosto retrô, meio sixties, então se conectam com pessoas mais velhas, mas ao mesmo tempo possuem elementos modernos, eletrônicos, e aí chamam a atenção dos mais novos", diz ao iG Mark Pontius, baterista da banda que é formada ainda por Mark Foster (vocal, teclado, guitarra) e Cubbie Fink (baixo).

null

Uma faixa que tinha tudo para não ser um hit é "Pumped Up Kicks". A letra sombria tem como personagem um jovem psicopata e foi inspirada no massacre de Columbine, em 1999. Mas a melodia é tão vibrante que rouba todo o foco de atenção.

"É engraçado, nos EUA muita gente dança essa música de um modo estranho por causa da letra. Mas a verdade é que a maioria das pessoas não se importa com a letra, eles querem apenas dançar. É legal ter esse constraste, esse gosto agridoce."

A banda colocou "Pumped Up Kicks" em seu site no final de 2010. A partir de então, a música fez do Foster the People um nome badalado no circuito indie - eles tocaram até com os Beach Boys no Grammy 2012 .

"Essa atenção toda em cima da gente nos amedrontou, especialmente no início", revela Pontius. "A música se espalhou por blogs, pelo [agregador de blogs] Hype Machine, gente da indústria começou a se aproximar. Tinha estado em uma outra banda [Malbec] por seis anos, nunca tinha passado por isso e nem esperava pudesse acontecer."

null

Como manter o controle com tanta gente em cima da banda? Como não se tornar uma banda de um disco só? "Muitos grupos colocam a vida no primeiro disco e depols não conseguem encontrar a fórmula mágica. Não acho que estamos nessa situação. Estamos tocando juntos por um bom tempo, há uma energia boa, todos estamos empolgados com a banda."

O Foster the People tem shows marcados até o final de agosto, mas, segundo Pontius, eles já pensam em como será o segundo disco. "Queremos algo similar ao primeiro, mas talvez com um pouco mais de ritmo, algo mais próximo ao que soamos ao vivo."

Foster the People - Rio
Quarta (dia 4), às 23h
Circo Voador: r. dos Arcos, s/nº; tel. 21-2533-0354
Ingressos: R$ 160 ( www.ingresso.com.br )

Foster the People - São Paulo
Quinta (dia 5), às 23h
Cine Joia: pça. Carlos Gomes, 82; tel. 11- 3231-3705
Ingressos: esgotados

Foster the People - DJ Set
Sexta (dia 5), a partir das 23h30
Yacht: r. Treze de Maio, 703, São Paulo; tel. 11-3104-7157
Ingressos: de R$ 60 a R$ 80

Foster the People - Lollapalooza
Domingo (dia 8), a partir das 14h
Jockey Club de SP: av. Lineu de Paula Machado, 1.263
Ingressos: R$ 300 ( www.lollapaloozabr.com )

    Leia tudo sobre: Foster the Peoplemúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG