FBI confisca digitais de John Lennon antes de leilão

Impressões faziam parte do formulário de pedido de cidadania que o artista preencheu em 1976

iG São Paulo |

Divulgação
O formulário de pedido de residência feito por Lennon
Apesar de morto há 30 anos, o músico John Lennon ainda desperta o interesse do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos. O atual objeto de desejo dos federais é um documento de pedido de residência preenchido pelo artista em 08 de maio de 1976 - Lennon, que era britânico, já vivia em Nova York com a esposa Yoko Ono.

O formulário em questão, que ainda contava com as digitais do músico, seria leiloado pela loja Gotta Have It!, em Nova York, no próximo sábado - dia em que Lennon completaria 70 anos. O lance inicial da peça seria de US$ 100 mil - isso se o FBI não tivesse confiscado o documento.

"Eu trabalho com isso há 20 anos e nunca vi o governo tão interessado em algo", disse o proprietário da loja, Peter Siegel. "Aqui está um dos nossos maiores músicos e eles não param de investigá-lo."

Siegel refere-se ao interesse que a polícia federal norte-americana despertou por Lennon na década de 70, período em que o artista foi figura ativa contra a guerra do Vietnã. De acordo com a assessoria do FBI, “o item que seria leiloado faz parte de uma investigação”.

    Leia tudo sobre: John Lennon

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG