EUA preparam festa para 75º aniversário de Elvis

Eventos em Graceland e box com raridades relembram o rei do rock

EFE |

Os Estados Unidos se preparam para celebrar, em 2010 e em grande estilo, o que seria o 75º aniversário de Elvis Presley, que três décadas após sua morte ainda continua arrastando uma legião de fãs no mundo inteiro.

A música de Elvis Aron Presley (1935-1977), que em 8 de janeiro completaria 75 anos, será previsivelmente um dos destaques de 2010 e ajudará a reviver a "febre Elvis" entre os amantes do rock que mantêm vivas as melodias do "rei".

"A popularidade de seus álbuns cresce a cada ano com a aparição de novos fãs no mundo todo e esperamos que, graças ao 75º aniversário, esse amor siga aumentando", afirmou um porta-voz da Sony, que em 2010 editará de novo, sob o selo RCA, todos os discos do "rei do rock".

Divulgação

A discografia completa de Elvis Presley deve voltar às lojas em 2010

Para os responsáveis pela empresa, Elvis continua sendo uma mina de ouro que não para de oferecer bons resultados ¿ o público continua comprando e baixando seus clássicos, apesar da morte e da mudança nos estilos musicais.

A realização do 75º aniversário do "rei do rock" terá seu ponto máximo entre os dias 7 e 10 de janeiro, quando Graceland, a conhecida casa de Elvis em Memphis, será palco de uma grande festa organizada pela filha e a viúva do cantor, Lisa Marie e Priscilla, que esperam reunir milhares de fãs para shows, exposições e competições de dança.

Além disso, a festa de aniversário seguirá em Las Vegas, lugar onde Elvis passou seus anos mais sombrios. A trupe canadense Cirque du Soleil preparou o "Viva Elvis", um espetáculo que mistura as tradicionais acrobacias à música do artista, assim como a companhia circense homenageou os Beatles em "The Beatles LOVE".

"Elvis Presley continua sendo único, já que personifica todas as contradições, todas as anomalias e toda a beleza que sua música conseguiu", acrescentam os executivos da Sony, que viu recentemente uma caixa de luxo com cem músicas ¿ algumas delas inéditas ¿, se transformar em um sucesso de vendas.

O box, chamado "Elvis 75: Good Rockin' Tonight", refaz a carreira musical do artista desde o início menos conhecido, como "My Happiness", até a faceta musical mais introspectiva nos anos 70, mas sobretudo "faz justiça" com uma figura que nem sempre foi valorizada.

Assim pensa o especialista em Elvis e crítico musical Billy Altman, encarregado de escrever um ensaio biográfico incluído na caixa. "Elvis tinha tudo: era um artista atraente e que oferecia uma boa música, que não recebeu o reconhecimento merecido", disse Altman após destacar "a incomparável mistura de estilos musicais, como o gospel, o pop e a música negra, que Presley foi capaz de unir".

Reprodução

Lançado neste ano, "Elvis 75: Good Rockin' Tonight" compila sucessos e faixas inéditas em 4 CDs

Para o especialista, "há muitas pessoas que só o observam como um mito, congelado no tempo, mas ele foi o responsável por legitimar o rock and roll como o conhecemos hoje e de apagar sem preconceitos as linhas que separam os diferentes estilos musicais".

"Poderíamos dizer que Elvis foi em parte responsável pela democratização da música e inclusive do negócio musical, porque ele saiu de uma família humilde e de um lugar, no sul dos Estados Unidos, onde não nasciam estrelas", afirmou Altman, para o qual Presley personificou "mensagens de esperança, liberdade e oportunidade".

Só dessa maneira se entende, segundo o crítico, a especial conexão de Elvis com o grande público nos Estados Unidos, "já que o cantor é a única grande estrela do rock de seu tempo que não era autor de suas canções e foi um artista que jamais fez turnês".

    Leia tudo sobre: elvis presley

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG