Espetáculo resgata obras da "Bella Époque Brasileira"

Além de Chiquinha Gonzaga e Villa-Lobos, compositores como Henrique Oswald e Ernesto Nazareth também serão lembrados

Agência Estado |

Reprodução
Chiquinha Gonzaga, uma das compositoras homenageadas com o espetáculo
Ano de 1911. O Brasil vivia a efervescência, sobretudo cultural, da Bela Época (ou Bella Époque Brasileira, que durou do final do século 19 até a Semana de Arte Moderna de 1922). Naquele cenário, a atividade editorial no País era intensa. Só para se ter uma ideia, cerca de 20 mil partituras eram editadas por ano. "Como ainda não existia rádio, as pessoas se reuniam em torno do piano", explica a cravista e pesquisadora Rosana Lanzelotte. Passados exatos 100 anos, o volume editorial não é o mesmo de outrora, mas a tecnologia torna-se uma aliada nessa nova realidade, a partir do momento em que disponibiliza, para o mundo todo, partituras na web. Essas duas pontas, separadas por um século, são reestabelecidas no espetáculo "1911-2011 - Os Bambas da Bela Época", que terá única apresentação em São Paulo, amanhã, no Teatro Cultura Artística Itaim.

Idealizado pela própria Rosana, o espetáculo abre a segunda edição do Circuito BNDES Musica Brasilis. O repertório faz um mergulho em compositores da Bela Época, que desenvolveram obras preciosas e ainda atuais. Time esse formado por Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Luciano Gallet, Glauco Velasquez, Francisco Braga, Henrique Oswald e Heitor Villa-Lobos. "São obras de uma modernidade, de uma ousadia", diz a cravista. "Só que muito desse material ficou inacessível por falta de edição".

As edições de obras de Henrique Oswald e Ernesto Nazareth, por exemplo, estão esgotadas. Já Glauco Velasquez e Luciano Gallet, considerados precursores do modernismo musical brasileiro, hoje são figuras quase anônimas. A obra de Velasquez é ainda menos conhecida, pelo fato de ele ter morrido com apenas 30 anos, vítima de tuberculose.

No palco, Rosana estará acompanhada de artistas como a soprano Rosana Lamosa, o barítono Licio Bruno, os pianistas Tim Rescala e Maria Teresa Madeira, os violinistas Her Agapito e Nathan do Amaral, além da Camerata Musica Brasilis, com o spalla Felipe Prazeres. A parte musical virá complementada por cenário, leitura de textos (narração feita pela atriz Malu Mader) e projeções, inclusive de partituras. Na internet, aliás, elas podem ser encontradas no portal do projeto: www.musicabrasilis.org.br .

SERVIÇO
1911-2011 - Os Bambas da Bela Época

Teatro Cultura Artística Itaim (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1.830)
26/05 às 20h
R$ 50

    Leia tudo sobre: chiquinha gonzaga

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG