Datarock traz seu rock dançante e bem-humorado de volta ao Brasil

Banda se apresenta nesta quinta-feira em São Paulo e promove "o mais extravagante single da história"

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
Datarock
A banda norueguesa Datarock veio ao Brasil pela primeira vez em 2007. Na época, era conhecida pela música "Fa Fa Fa", usada em comerciais e vídeo games e sucesso em pistas de dança ao redor do mundo. Mesmo assim, seu show foi uma surpresa: as músicas apareceram mais dançantes e pesadas, e a postura da banda no palco era cheia de humor e ironia. Houve até espaço para uma hilária versão de "The Time of My Life", canção da trilha do filme "Dirty Dancing".

"Se o show for tão divertido quanto da outra vez, prometo tocar outro clássico dos anos 1980", diz Fredrik Saroea, vocalista do grupo. O Datarock volta ao Brasil para um show no Estúdio Emme, em São Paulo, nesta quinta (24). A performance faz parte de uma turnê pela América do Sul, que inclui ainda uma participação na edição chilena do festival Lollapalooza. Além do Datarock, o evento terá nomes como Killers, Kanye West e Flaming Lips.

Segundo Saroea, tocar em locais menores como o do show em São Paulo tem suas vantagens. "Em festivais, o público não veio necessariamente te ver. E, mesmo que tenham vindo por sua causa, é possível que eles saiam no meio do seu show para ver outra banda em outro palco", explica. "Festivais geralmente são legais, mas clubes sempre são legais".

Ele ainda se lembra da primeira vez que veio ao Brasil. "Nós ficamos chocados. Ali estávamos nós pela primeira vez em São Paulo, e de repente há sete mil pessoas cantando suas músicas e conhecendo as letras. Foi uma experiência fantástica do início ao fim", afirma.

O repertório da apresentação desta quinta será uma mistura dos dois discos da banda, "Datarock Datarock" (2005) e "Red" (2009). Uma presença certa, além do hit "Fa Fa Fa", é o novo single "Catcher in the Rye". A canção mereceu um lançamento especial, que Saroea classificou de "o mais extravagante single da história".

Trata-se de um pendrive com as cinco faixas do EP "California", que contém "Catcher in the Rye" e outras cinco faixas, um álbum instrumental de 15 músicas intitulado "Music For Synchronization", uma coletânea de 15 lados B e raridades chamada "Lost & Found", os dois álbuns do Datarock com faixas bônus, um disco de remixes e mais 22 vídeos, um show de 65 minutos, encartes e 1500 fotos.

"O pendrive é em forma de diamante (ou seja, uma pedra) e contém 1700 arquivos de dados ( em inglês, pedra é 'rock' e dados, 'data '). Então, é um verdadeiro Datarock".

Serviço

Datarock em São Paulo
Estúdio Emme (Rua Pedroso de Morais, 1306, Pinheiros)
Quinta-feira (24/03), a partir das 21h (abertura da casa)
Ingressos: R$ 80 (1º lote), R$ 100 (2º lote) e R$ 120 (3º lote)

    Leia tudo sobre: Datarockmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG