Coldplay nega plágio de música de Joe Satriani

Banda de Chris Martin afirmou publicamente que não copiou Vila la Vida

Reuters |

A banda de rock britânica Coldplay negou na terça-feira a acusação feita pelo guitarrista Joe Satriani de que ela teria plagiado um de seus instrumentais, dizendo que quaisquer semelhanças são "inteiramente coincidentes".

Satriani moveu em Los Angeles, na quinta-feira, uma ação por infração de direitos contra o Coldplay, dizendo que seu single "Viva La Vida" incorpora "partes originais substanciais" de sua canção de 2004 "If I Could Fly".

O guitarrista de 52 anos quer levar o caso a julgamento popular, pede indenização por danos e "quaisquer e todos os lucros" atribuíveis à alegada infração de direitos autorais. Mas o Coldplay, cujas melodias já foram comparadas desfavoravelmente às da banda irlandesa U2, rejeitou a acusação completamente.

"Se existem semelhanças entre nossas duas músicas, são inteiramente coincidentes e nos surpreendem tanto quanto surpreenderam a ele", disse a banda em seu site na Web.

"Joe Satriani é um grande músico, mas ele não escreveu nem exerceu qualquer influência sobre a canção 'Viva La Vida' . Pedimos respeitosamente que ele aceite nossas declarações nesse sentido e lhe desejamos boa sorte em seus trabalhos futuros."

Satriani processou o Coldplay um dia depois de a banda ter recebido sete indicações para o Grammy, perdendo apenas para o rapper Lil Wayne. As indicações incluíram as importantes categorias disco e canção do ano, por "Viva La Vida", do álbum líder nas paradas Viva La Vida or Death and All His Friends .

Os créditos da canção são atribuídos aos quatro membros da banda: o vocalista Chris Martin, o baixista Guy Berryman, o guitarrista Johnny Buckland e o baterista Will Champion. A inspiração do título veio de uma tela da artista mexicana Frida Kahlo.

A faixa de Satriani é de seu álbum Is There Love in Space?. Alguns fãs curiosos já criaram fusões das duas canções, sobrepondo o som da guitarra sobre a canção do Coldplay para indicar que as duas parecem conter estruturas melódicas e acordes semelhantes.

O advogado especializado em propriedade intelectual Oren J. Warshavsky, da empresa de advocacia Baker Hostetler, disse que Satriani pode ganhar a ação se comprovar "semelhança notável" entre as duas canções. A lei presumiria, então, que a única explicação das semelhanças seria plágio, e não coincidência, disse ele.

Além disso, Satriani pode observar que sua canção já é amplamente divulgada, o que "pode ser um argumento mais lógico e convincente" do que a alegação do Coldplay de que é apenas fruto de uma coincidência.

Warshavsky disse que o tribunal também pode concluir que o Coldplay copiou a canção inconscientemente. Essa questão atrapalhou o compositor de baladas Michael Bolton, que perdeu um processo movido contra os Isley Brothers em função de suas canções de nome semelhante, "Love Is a Wonderful Thing".

"My Sweet Lord", de George Harrison, também foi considerada uma cópia inconsciente de "He's So Fine", do Chiffons. Mas, numa manobra legal complicada, o ex-Beatle acabou dono da canção do Chiffons.

Leia mais sobre Coldplay

    Leia tudo sobre: coldplay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG