Cobertura de TV é permitida no julgamento do médico de Jackson

Em liberdade sob fiança, Conrad Murray enfrenterá tribunal no fim de março

Reuters |

AP
Conrad Murray, médico acusado da morte de Michael Jackson
Câmeras de televisão poderão filmar o julgamento do médico de Michael Jackson por homicídio culposo, no mês que vem, contanto que não interfiram com os procedimentos, disse um juiz na segunda-feira.

O juiz do Tribunal Superior de Los Angeles Michael Pastor também adiou a data do julgamento do dr. Conrad Murray em quatro dias, passando o para o dia 24 de março, quando começa a seleção do júri. O julgamento deve durar cerca de seis semanas, segundo advogados da defesa e da acusação.

Murray se declarou inocente, e está em liberdade sob fiança. Ele pode enfrentar até quatro anos de prisão se for condenado. Homicídio culposo é definido como o homicídio sem intenção de matar, e é uma acusação menos grave que a de assassinato.

Pastor disse que queria "a disposição totalmente menos intrusiva" da câmera de TV na sala do tribunal e pediu propostas detalhadas dos noticiosos locais. Ele também impediu que as câmeras de transmitir imagens da seleção do júri.

Murray, que estava na casa de Jackson na manhã de sua morte, no dia 25 de junho de 2009, admitiu ter dado ao cantor, de 50 anos, o poderoso anestésico propofol para ajudá-lo a dormir enquanto ele estava ensaiando uma série de shows, em Londres.

Médicos legistas determinaram que sua morte foi causada por uma overdose de propofol e um coquetel de sedativos.

    Leia tudo sobre: michael jacksonconrad murraytribunaljulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG