Chuvas prejudicam centenário de Elpídio dos Santos

Casarão do Instituto Elpídio dos Santos sofreu com as enchentes de São Luiz do Paraitinga

Guss de Lucca, iG São Paulo |

São Luiz do Paraitinga comemora hoje o centenário de nascimento do músico Elpídio dos Santos, conhecido pela parceria com o cineasta Amácio Mazzaropi e pela autoria de diversas canções do cancioneiro popular, como "Despertar do Sertão" e "Casinha Branca (Você Vai Gostar)".

Porém, aquele que seria um momento festivo acabou tornando-se um período de luta pela recuperação do Instituto Elpídio dos Santos, cujo casarão, localizado no centro histórico de São Luiz, teve sua estrutura danificada pelas enchentes que tomaram a cidade do interior paulista.

"A casa onde funciona o instituto está interditada. Estamos esperando as paredes de taipa serem escoradas para entrar e tentar recuperar parte da obra que está lá dentro, que inclui esculturas, partituras e instrumentos", disse Lia Marques Luiz dos Santos, neta do compositor.

De acordo com ela, ao contrário do que houve nos anos anteriores, não há um evento agendado para comemorar a data. Além da preocupação com a recuperação do casarão, um dos edifícios mais antigos de São Luiz do Paraitinga, com mais de 200 anos, existem ideias para arrecadar dinheiro para a cidade, cuja principal consiste no DVD "100 Anos de Elpídio dos Santos".

"Estávamos correndo atrás dos shows de pré-lançamento do DVD, que foi gravado em setembro de 2009 e contou com a participação de Zeca Baleiro, Fafá de Belém, Zé Geraldo e Renato Teixeira. Esse especial tem as últimas imagens de São Luiz inteira, ainda com a igreja", explicou.

Partes da apresentação renderam um especial já exibido pela Rede Bandeirantes, classificado por Lia como uma pré-edição do material, que agora está em sua fase final de produção. "Estamos correndo para que o DVD fique pronto o quanto antes, pois queremos utilizar seus lucros na reconstrução da cidade", completou.

Apesar do futuro incerto, a neta de Elpídio dos Santos diz que a família deve procurar empresas interessadas em ajudar na restauração do casarão. "Elpídio é uma parte importante da cultura de São Luiz. Todo mundo conhece e tem muito carinho por suas obras e músicas. Queremos mantê-lo em pé."

Um músico caipira

Apesar de ter em sua vasta obra composições de diversos gêneros musicais, como o samba, o choro e a valsa, Elpídio dos Santos é conhecido pela contribuição dada a música caipira e "de raiz".

Formado em canto orfeônico pelo Conservatório Paulista, em 1959, o músico lecionou no SESC do Carmo, em São Paulo, e na Escola Municipal de Música de Taubaté. Apesar do domínio dos instrumentos de sopro, adquirido durante sua participação na banda Santa Cecília, de São Luiz do Paraitinga, foi com o violão que ele melhor retratou a cultura do interior do estado.

Letras de sua autoria foram gravadas por artistas como Demônios da Garoa, Sérgio Reis, Almir Sater, Fafá de Belém e as duplas Pena Branca e Xavantinho e Cascatinha e Inhana, sendo esta última responsável pelo primeiro registro de "Despertar do Sertão", de 1955.

"Elpídio tem umas canções bonitas, simples, ele sabia compor. Nunca gravei nada dele, mas sempre prestigiei seu trabalho. Nesta semana fiz uma homenagem a ele no meu programa com Oswaldinho e Marisa Viana", comentou o músico Rolando Boldrin, apresentador do Sr. Brasil, exibido na TV Cultura.

"Conheci a obra dele no cinema, com os filmes do Mazzaropi. Ele gostava muito de interpretar as músicas do Elpídio, as encomendava sempre que fazia um novo filme", completou.

Em sua carreira Elpídio dos Santos foi responsável por 25 canções registradas em 22 filmes de Mazzaropi, como "A Dor da Saudade", do filme "Casinha Pequenina", e "Fogo no Rancho", do clássico "Jeca Tatu".

    Leia tudo sobre: elpídio dos santosrolando boldrin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG