Cantor e compositor Billy Blanco morre aos 87 anos

Personagem importante da bossa nova, cantor estava internado no Rio de Janeiro após sofrer um AVC

iG São Paulo com AE |

O cantor e compositor Billy Blanco morreu nesta sexta-feira (8) aos 87 anos no Rio de Janeiro, vítima de parada cardíaca.

Um dos nomes mais importantes da Bossa Nova, ele estava internado devido a um AVC desde 2 de outubro do ano passado no Hospital Pan-Americano, na Tijuca. Em 1995, o compositor já havia sofrido um infarto.

Siga o iG Cultura no Twitter

Blanco gravou suas primeiras músicas nos anos 50, surpreendendo por seu estilo de samba sincopado. Gravado por nomes como Dick Farney, Lúcio Alves, Dolores Duran (de quem foi namorado), Elis Regina e Hebe Camargo, teve seu primeiro sucesso com "Estatutos da Gafieira", cantada por Inesita Barroso em 1954.

Entre seus parceiros famosos estão o violonista Baden Powell, Tom Jobim e João Gilberto.

Uma das obras mais importantes de Blanco é a "Sinfonia Paulistana", série de 15 músicas em homenagem a São Paulo que levou dez anos para ficar pronta, em 1974, e possui os famosos versos ""vão bora, vão bora, olha a hora, vão bora, vão bora".

Ouça aqui "O Morro", uma das principais composições de Blanco

Billy Blanco nasceu William Blanco Abrunhosa Trindade em Belém do Pará, em 8 de maio de 1924. Veio para São Paulo para estudar arquitetura em 1946 e ficou dois anos na cidade. Em 1948 se mudou para o Rio de Janeiro, onde se formou em 1950. Em 1996 lançou o livro "Tirando de Letra e Música", uma autobiografia que incluiu letras de suas músicas.

O corpo do compositor está sendo velado na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro e, mais tarde, cremado.

Billy era do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Administração e Proteção dos Direitos Intelectuais e vinha atuando bastante nas discussões sobre as possíveis mudanças na Lei dos Direitos Autorais.

    Leia tudo sobre: billy blancobossa nova

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG