Byafra: "Não cantaria para espantar ladrão"

Artista fala ao iG sobre a repercussão de comercial televisivo no qual canta para assustar um assaltante de carro

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Divulgação
Byafra: comercial polêmico e rentável
O ladrão entra em um automóvel, liga o motor e sai dirigindo. De repente, no banco de trás, surge Byafra cantando sua música , “Sonho de Ícaro”, cujo refrão pegajoso é “Voar, voar/ subir, subir/ ir por onde for...”. O ladrão não suporta a cantoria em tons agudíssimos e desiste da ação.

Pode parecer depreciativo para a imagem e a obra do cantor que contabiliza 30 anos de carreira. Mas Byafra não vê dessa forma. “É uma música que só me deu alegrias na vida. Estou fazendo mais shows por causa do comercial, está tudo ótimo”, diz ele, sucesso nos anos 1980, ao pôr suas canções – de versos melosos, sempre puxando no agudo – no horário nobre das novelas.

Desde que entrou no ar, a campanha publicitária de

um seguro de automóveis (veja o vídeo no final do texto), no final do mês passado, a palavra “Byafra” tem aparecido constantemente entre os trending topics do Twitter. Para quem estava afastado da mídia há quase uma década, é um feito e tanto. “Ficamos uma madrugada inteira numa rua de São Paulo, noite muito fria, gravando sem parar. Mas valeu a pena”, comemora ele.

Byafra (cujo nome real é Mauricio Pinheiro Reis) pretende lançar em outubro um CD ao vivo. E adivinha a música de trabalho? Sim, sim: “Sonho de Ícaro”. Byafra não se cansa.

iG: O comercial do Bradesco Seguros não é pejorativo para a sua imagem?
Byafra
: Do meu ponto de vista, não. É uma grande brincadeira. É assim que levei desde o começo. Algumas pessoas podem levar para esse lado. Mas é uma comédia. O ladrão é divertido também... Não esperava essa repercussão toda.

iG: Você compete com os “pôneis malditos”, de um comercial de automóvel , pelo bordão publicitário da temporada. Gosta dos pôneis?
Byafra:
( Risos ) Eu já vi, mas não entendi o comercial. Preciso ver direito, com mais calma. Deve ser interessante, porque está todo mundo comentando.

iG: Já teve carro roubado? Cantaria “Sonho de Ícaro” para assustar um ladrão?
Byafra:
Nunca tive um carro roubado. Se tivesse, é lógico que não cantaria uma música (risos). Certa vez roubaram meu saxofone em Niterói. Divulgamos que o saxofone tinha poderes paranormais e quem o encontrasse, se não devolvesse, teria vários anos de azar.

Divulgação
"Infinito amor", um dos discos lançados pelo cantor
iG: E obteve resultado?
Byafra:
O cara deve ter jogado na primeira vala que viu pela frente e ainda acendeu uma vela ( risos ). Ficou com medo. Nunca mais o encontrei.

iG: Quanto você ganhou para fazer este comercial?
Byafra:
Está em contrato que não posso falar de quanto foi o valor recebido.

iG: É mais do que você ganha com um show?
Byafra:
Um pouco mais, sim ( risos ).

iG: Esta propaganda está te ajudando a fazer shows?
Byafra
: Os shows estão bombando. Para setembro já tenho uns dez fechados. São 30 anos de carreira, não é só por causa do comercial. Mas é claro que isso ajudou a alavancar.

iG: Você recebe muitas reclamações por cantar sempre a mesma música?
Byafra:
De maneira nenhuma. “Sonho de Ícaro” é uma música que me persegue. Não tem jeito. Se eu não cantar no show, a pessoa pede o dinheiro do ingresso de volta.

iG: Por que o ‘y’ no nome?
Byafra:
Biafra é um apelido que recebi devido à Guerra de Biafra (r egião hoje anexada à Nigéria ), onde só tinha gente muito magra. E eu era bem magrinho. Eu escrevia Biafra com ‘i’. Mas com a internet, se a pessoa digitasse ‘biafra’, cairia na África, com informações sobre a guerra. Resolvi colocar o y pra me diferenciar na busca. É uma questão prática, sou um visionário ( risos ).

Veja o comercial:

    Leia tudo sobre: byafracomercial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG