Burt Bacharach atropela legado em show em SP

Compositor apresentou seus clássicos em série de medleys

Juliana Zambelo |

Burt Bacharach não é intérprete e, apesar da grande simpatia, também não é um showman. Compositor ¿ um dos melhores da história da música pop ¿ ele se apresentou nesta quarta-feira em São Paulo acompanhado de uma banda e três vocalistas e fez um show que se justifica apenas como forma de referenciar e lembrar as canções, mas que não funciona como espetáculo.

Veja fotos da apresentação

O show, realizado no HSBC Brasil diante de uma plateia madura e receptiva, começou com uma breve introdução de "What the World Needs Now Is Love". Logo nos primeiros vinte minutos de apresentação, o público foi brindado com alguns dos clássicos que estavam lá para ouvir: Walk on By, I Say a Little Prayer, Wishin and Hopin, (There's) Always Something There to Remind Me.

As canções, no entanto, vieram em pequenas pílulas dentro de medleys, com o compositor reduzindo a pedaços as músicas que encantaram gerações e sobreviveram ao tempo. E assim foi na maior parte da apresentação de duas horas. Como se fizesse um show para a geração Twitter, que concentra todos os pensamentos em 140 caracteres, Bacharach passou por seu legado de forma apressada e decepcionante.

Elegante em seus 80 anos, Bacharach tocou piano durante todo o show enquanto regia a banda com pequenos gestos. Ao seu redor, dois tecladistas, uma violinista, uma dupla nos instrumentos de sopro, um baterista e um baixista davam conta dos arranjos enquanto os vocalistas John Pagano, Josie James e Donna Taylor desempenhavam suas funções de forma correta, ainda que sem muito brilho ou personalidade.

(They Long to Be) Close To You, gravada pelos Carpenters, fez o público cantar junto e os breves trechos de I'll Never Fall in Love Again e Do You Know the Way to San Jose também arrancaram aplausos.

Seus grandes sucessos consagrados no cinema foram agrupados em um único bloco. Nele, Bacharach assumiu o microfone e cantou The Look of Love, Raindrops Keep Fallin' on My Head e Alfie com sua voz extremamente rouca e frágil.  Arthurs Theme e Whats New Pussycat também entraram na seleção.

Entre as composições mais recentes, Bacharach apresentou uma de suas parcerias com Elvis Costello (God Give Me Strength) e uma música inédita (Every Other Hour) e encerrou a primeira parte da noite com uma faixa dedicada aos novos e bons amigos Lula e Obama: Thats What Friends Are For. No bis, comemorou o fato de ter sido um dos poucos compositores gravados pelos Beatles ao apresentar Baby Its You e voltou a Raindrops Keep Falling on My Head, desta vez tocada do início ao fim e acompanhada do coro do público. Sublime. Lá fora, a chuva começava a cair.

Burt Bacharach volta a se apresentar nesta quinta-feira em São Paulo e encerra sua passagem pelo Brasil no próximo sábado com show no Vivo Rio, no Rio de Janeiro.

    Leia tudo sobre: burt bacharach

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG