Bombeiros refutam áudio do resgate de Jackson

Gravação que vazou na imprensa norte-americana é falsa, dizem oficiais

EFE |

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles negou a autenticidade de uma gravação de áudio que revelaria conversas de equipes de resgate no momento do atendimento a Michael Jackson, no dia da morte do cantor.

Em declarações ao site "TMZ", o capitão dos bombeiros Steve Ruda assegurou que a gravação é falsa. "Não é nossa conversa. Não se trata de nenhum dos médicos que atenderam Michael Jackson", disse Ruda horas depois de a imprensa americana reproduzir a gravação.

As conversas registradas na gravação, aparentemente dos médicos que chegaram à casa do "rei do pop", mostram que o artista não respondia à reanimação.

"O paciente é Michael Jackson, a estrela do pop. Não tem pulso, não respira. Não reage. Tentativa de ressuscitação sem sucesso", é dito na gravação, que seria de uma equipe do corpo de bombeiros de Los Angeles se comunicando com o hospital da universidade UCLA.

"Fizemos tudo o que pudemos. Devemos chegar em cinco minutos. Não parece bem", continua a gravação. Michael foi declarado oficialmente morto no hospital várias horas depois do atendimento médico que recebeu em casa, em 25 de junho de 2009.

As conversas da gravação contrariam a versão de Conrad Murray, médico pessoal de Michael, que assegurou que o artista tinha pulso quando foi levado na ambulância.

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG