Bob Dylan é músico com mais letras citadas em processos nos EUA

Juízes, advogados e professores usam canções em sentenças e aulas

iG São Paulo |

Divulgação
Bob Dylan: influência além da música
Bob Dylan foi um dos mais importantes artistas dos anos 60, com suas canções de protesto que deram voz, mesmo que involuntariamente, aos crescentes movimentos pelo direitos civis nos Estados Unidos. Músicas como "The Times They Are A-Changin'", "Masters of War" e "Blowin' In The Wind" viraram hinos da época. A influência do cantor entre músicos pode ser conferida desde os Beatles até artistas mais jovens como a banda Mumford and Sons. O legado de Dylan, porém, não se restringe apenas à música: ele é o cantor mais citado por juízes, advogados e promotores em defesas de casos e sentenças judiciais nos Estados Unidos.

Segundo um estudo de 2007 de Alex Long, professor de Direito da Universidade do Texas, Dylan foi citado 186 vezes em processos e publicações de ensino - em apenas um semestre. O número é mais que o dobro que os segundos colocados na lista, os Beatles, com 74 citações, seguidos de Bruce Springsteen, com 69, Paul Simon, com 59, e Woody Guthrie, um dos heróis do início da carreira de Dylan, com 43.

Para Long, a constante presença de citações a Dylan em processos é resultado da educação musical dos profissionais da área. "Todo mundo tende a crer que a música que escuta fala sobre si mesmo", disse ele em entrevista ao jornal americano Los Angeles Times. "Ser um juiz é um exercício individual, você toma decisões isolado. Bob Dylan foi muito popular durante a fase em que nossos juízes tentavam entender quem eram", completa o advogado de 41 anos, que cresceu ouvindo as canções de Dylan por influência dos pais.

O juiz Robert S. Lasnik, de 60 anos, de Seattle, que ouvia as músicas de Dylan no rádio durante a adolescência, corrobora a tese de Long. "De repente havia alguém dizendo algumas verdades para cada um de nós. Era algo incomum de se ouvir", conta em entrevista ao jornal. Ele não se lembra qual foi a primeira música de Dylan que ouviu, mas não esqueceu a sensação. "Amei o imaginário, as palavras que você nunca pensaria em combinar e o conceito que as letras provocavam em você."

Uma das músicas de Dylan mais citadas é "Hurricane", que fala sobre o caso do boxeador Rubin "Hurricane" Carter, condenado a duas prisões perpétuas por um crime que não cometeu. Rubin, que é negro, foi preso em 1966 e teve todas as evidências de que não era culpado ignoradas pelo júri. Segundo a professora da Universidade de Kentucky Allison Connelly, o caso é um exemplo para seus alunos de como procurar as evidências corretas e duvidar da versão das autoridades. Em suas aulas, ela pede que os alunos identifiquem na canção de Dylan (lançada em 1975) falhas na teoria da promotoria, encontrar testemunhas e criar um álibi de acordo com as linhas do tempo. Em 1985, em seu terceiro julgamento, Rubin foi libertado.

Dylan, no entanto, parece não nutrir o mesmo respeito pelos juízes. De acordo com um levantamento do advogado de Nova York David Zornow, há apenas duas referências em letras do cantor a juízes competentes. A maioria trata a classe como corrupta. "Dylan é um cara que não tem muito a falar bem sobre os juízes", disse Zornow. Durante sua carreira, Dylan sofreu com alguns longos processos judiciais, principalmente um contra seu primeiro empresário, Albert Grossman. O cantor não quis dar entrevista para a matéria do LA Times.

    Leia tudo sobre: bob dylan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG