Babasónicos brilha na 2ª noite no El Mapa de Todos

Chuva não desanimou público brasiliense, que conferiu o show dos argentinos do Babasónicos e mais três atrações latino-americanas

Sergio Bazi |

Acordo Ortográfico

A segunda rodada de shows do El Mapa de Todos - música, cultura digital e integração não repetiu o grande sucesso de público da abertura na quinta-feira, prestigiada sobretudo por fãs loucos para ver a estreia solo de Marcelo Camelo em Brasília. Mas os dois palcos do festival fervilharam de atrações que conquistaram a plateia, que não se deixou intimidar com as chuvas fortes na noite de sexta-feira para conhecer a grande atração da noite ¿ a badalada Babasónicos, considerada a mais importante banda da cena alternativa argentina.

Acompanhe hoje o festival ao vivo na TV Brasil, a partir das 20h30

Apesar de estar acostumada a lotar ginásios em países de língua espanhola, de ter lançado 13 álbuns (nove oficiais) em 17 anos de trajetória musical, a Babasónicos nunca havia se apresentado no Brasil. O enérgico e carismático quinteto liderado por Adrián Dárgelos levou ao delírio não apenas os admiradores, que mostravam que tinham as letras na ponta da língua, mas também os que pouco ou nada conheciam da banda ¿ que, segundo Fernando Rosa, responsável pela concepção do evento, nunca prendeu-se a rótulos ou conceitos fechados, apostando sempre na sintonia com a sua geração. Assim, passeou por vários estilos, fixando-se em uma postura pop, mas provida de rara elegância musical e autoral.

O primeiro show da noite foi da Facas Voadoras, banda de Campo Grande (MS), que tocou no foyer do Espaço Cultural Brasil Telecom. Selecionada no concurso promovido pelo iG Música , o trio formado por Leonardo Schmidt no vocal, Diego Bueno no baixo e Jean Ripa na bateria apresentou músicas em português e inglês ¿ um trabalho de qualidade, acompanhado com interesse pelo público. Pena que as luzes do foyer não foram apagadas para favorecer a apreciação do show, como aconteceu na apresentação no mesmo palco do grupo Turbopótamos, do Peru.

Formada por Humberto Campodónico (voz e guitarra), Julio Pérez Luna (baixo), Marco Quintana (batería) e Bruno Sánchez (guitarra), o Turbopótamos é apontado como uma das maiores revelações do rock alternativo latino-americano dos anos 2000. Seu autodenominado kabilly, vigorosa mistura de rockabilly e ska, contagiou o público.

Outra atração do El Mapa de Todos foi o rock instrumental da mato-grossense Macaco Bong, já conhecido do público do festival brasiliense Porão do Rock. Ney Hugo (baixo), Ynaiã Benthroldo (bateria) e, principalmente, Bruno Kayapy (guitarra) souberam criar uma inebriante atmosfera psicodélica, auxiliados por um belo trabalho de iluminação, uma verdadeira coreografia de luzes e cores.

Azevedo Silva, a atração portuguesa do festival, que cantou na primeira noite, era um dos espectadores mais entusiasmados na platéia do teatro do Espaço Telecom. Não conhecia o trabalho deles. E fiquei muito impressionado com o guitarrista, que me lembrou a energia do grande Jimi Hendrix, disse ele.

Ainda há ingressos para último dia do festival, que conta o grupo pernambucano Mundo Livre S/A. É possível comprar nas bilheterias do Espaço Brasil Telecom, ou pelo site Ingresso.com . As entradas custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Além dos shows, o El Mapa de Todos tem uma extensa programação de debates e oficinas. Confira aqui . Veja abaixo a programação deste sábado:

Sábado - 29/11
Instiga - Campinas (palco foyer)
La Quimera del Tango - Argentina (palco teatro)
Javiera Mena - Chile (palco foyer)
Sr. Chinarro - Espanha (palco teatro)
Mundo Livre S/A - Recife (palco foyer)

Leia mais sobre o El Mapa de Todos

    Leia tudo sobre: babasónicosel mapa de todosmacaco bong

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG