B-52s faz show alegre e nostálgico em SP

Banda pegou os paulistanos felizes e relaxados e transformou sua apresentação em uma festa

Juliana Zambelo |

Noite de sábado de um fim de semana prolongado. Não poderia haver momento melhor para a passagem por São Paulo de toda a alegria e despretensão do B-52s, que pegou os paulistanos felizes e relaxados e transformou sua apresentação em uma festa.

O clima de nostalgia era reinante e o público na faixa dos trinta anos não tinha motivos para negar. A banda que se tornou um dos principais símbolos da new wave e teve seu auge em meados dos anos 80 estava ali para lembrar os velhos tempos e, apesar de trazer um disco novo na manga ( Funplex , o primeiro disco de inéditas em 16 anos), sabe que tem como maior trunfo os seus antigos sucessos.

O show, realizado no Credicard Hall, começou com quase uma hora de atraso, mas esquentou fácil. O trio de vocalistas Fred Schneider, Kate Pierson e Cindy Wilson subiu ao palco animado e abriu a noite com Pump, do disco mais recente, logo seguida por Mesopotamia. Mas foi na quarta música da noite, o hit Private Idaho, que o público literalmente levantou das cadeiras para dançar e cantar junto.

O guitarrista também da formação original Keith Strickland era acompanhado de uma banda competente e bastante obediente aos arranjos originais das músicas. Schneider com seu vocal quase falado tem a voz exatamente igual à que está registrada na memória afetiva do público enquanto Pierson e Wilson, muito mais cobradas no quesito afinação, provaram que ainda têm muita voz para dar conta dos hits ¿ mesmo que Wilson fique devendo as notas mais altas de vez em quando.

Sem muitas estripulias no palco, a banda falou pouco, mas se mostrou simpática durante toda a noite. Com os longos cabelos loiros soltos, Cindy é só sorrisos; já a ruiva Kate, que arriscou uma armação nos cabelos, abusava de sua roupa vermelha de mangas enormes para caprichar nas dancinhas com os braços.

O repertório alternou músicas novas e antigos sucessos de forma balanceada e suficiente para manter a plateia atenta e animada. Entraram no set list as antigas Roam, Give Me Back My Man, Strobe Light e a nova Juliet of the Spirits, cantada pelas duas vocalistas, foi um dos pontos altos da apresentação. Love Shack fechou a primeira parte do show em altíssimo astral e Rock Lobster, uma das mais pedidas pelo público, veio no bis.

O B-52s se apresenta nesta segunda-feira em Porto Alegre.

    Leia tudo sobre: b52s

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG