Após sucesso do 1º CD, The Drums prepara o segundo e vem ao país

Banda norte-americana se apresenta em São Paulo nesta quinta-feira; leia entrevista ao iG

Thiago Ney, iG São Paulo |

Divulgação
A banda norte-americana The Drums
"Queremos crescer como banda." "Temos de olhar para frente, e não para trás." "Não queremos nos repetir." Frases que invariavelmente são ouvidas em entrevistas de grupos que lançam um segundo disco. Não é o caso do Drums . Eles estão gravando o sucessor do álbum de estreia. E querem que tudo fique como está.

O trio baseado em Nova York fez certo sucesso com "The Drums", lançado em junho do ano passado e que trazia faixas como "Let's Go Surfing", "Best Friend" e "Forever and Ever, Amen" (antes, no início de 2010, havia soltado o EP "Summertime", que tem a ótima "I Felt Stupid").

Ainda no calor da estreia, eles preparam o segundo disco. "Estamos quase terminando. Fomos ao estúdio em dezembro, preparamos várias coisas", contou ao iG o guitarrista Jacob Graham.

E como será esse álbum? Graham é direto: "Não será muito diferente do primeiro disco. Esse é o nosso som. Gostamos do que fazemos, canções com pegada pop, não dá para fugirmos disso. Colocaremos algo novo nesse disco, mas será familiar para quem ouviu o primeiro".

Ao ouvir Graham falar, a impressão é a de que a banda está plenamente satisfeita com o que fez até aqui. "Se reinventar ou experimentar a cada disco é uma negação do que você fez no passado. Claro, queremos sempre produzir algo que seja fresco, excitante. Mas quando começamos a banda, tínhamos uma boa ideia do que queríamos fazer - e ainda pensamos da mesma forma."

Esse segundo disco ainda não tem data de lançamento nem título definidos. Será, pelo que diz Graham, mais do mesmo? Se gerar a mesma repercussão do anterior, a banda não deve ficar decepcionada.

"The Drums" transformou o The Drums em nome (bem) comentado no pop (até Morrissey viu um show e elogiou o grupo) e forneceu o combustível para a banda excursionar pelo mundo. Excursão que segue com a apresentação que eles fazem em São Paulo nesta quinta-feira (31 de março), no Estúdio Emme .

Talvez Morrissey tenha se empolgado ao enxergar na música do trio (ao vivo, eles são em quatro) traços dos Smiths (e um pouco dele mesmo no vocalista Jonathan Pierce). Dá para encontrar no Drums muito de rock inglês, como The Cure. Mas não só, diz o guitarrista: "Não vejo muita diferença entre o rock inglês e o americano. Crescemos ouvindo Smiths, mas também ouvíamos Beat Happening [banda americana liderada pelo herói indie Calvin Johnson]".

Em faixas como "Let's Go Surfing" ou "Forever and Ever, Amen", percebe-se com nitidez a preocupação melódica do Drums. "Melodia é muito importante, não sei se mais importante do que as letras... Quando você compõe uma música pop, tem de achar a combinação perfeita entre a letra e a melodia. Quando isso acontece, quando você percebe que não dá para separar uma da outra, vê que tem uma grande canção na mão".

Enquanto as melodias são ensolaradas, muitas das letras do Drums trazem temas escuros. Em "Best Friend", Jonathan Pierce inicia com os versos: "Você era o meu melhor amigo/ Aí você morreu/ Quando eu tinha 23 e você, 25". Em "It Will All End in Tears", ele canta: "Eu te dei tudo/ Por que você me odeia tanto?".

"[As letras] São naturalmente tristes, melancólicas. Não é algo pensado. Às vezes há uma pressão para ser otimista, para nos convencermos de que tudo está bem, maravilhoso. Não é assim que vemos o mundo", conta Graham.

Veja, abaixo, o vídeo de "Forever and Ever, Amen"

The Drums
Estúdio Emme (r. Pedroso de Moraes, 1.036, São Paulo; tel. 11-3031-3290)
31 de março, a partir das 21h
R$ 120 

    Leia tudo sobre: Drumsmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG