Após 'pausa', Laura Pausini lança disco e se prepara para vir ao Brasil

Cantora italiana retorna com o álbum 'Inedito' depois de ter tirado um 'tempo para pensar na vida'; leia entrevista ao iG

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Laura Pausini atende o telefonema do iG com um português desenvolto. Sua fluência na língua é bastante conhecida – sempre que vem ao Brasil, a cantora faz uma peregrinação pelas emissoras de TV, até finalmente sentar no sofá da amiga Hebe –, mas nunca deixa de ser surpreendente ouvir a popstar italiana provar que consegue falar sem intermediários com o público brasileiro. Os fãs estão ansiosos desde já: com dois shows agendados em São Paulo para janeiro de 2012, Pausini foi obrigada a marcar um terceiro, tamanha a procura por ingressos.

Getty Images
A cantora Laura Pausini durante show em Las Vegas em 2009

O interesse não é gratuito. Pela primeira vez desde o início da carreira, em 1993, Pausini ficou três anos sem lançar um disco de músicas inéditas. De lá para cá, vendeu mais de 70 milhões de cópias e virou um verdadeiro fenômeno na América Latina. A expectativa para um retorno, portanto, era grande tanto entre os fãs quanto para a sua gravadora.

Pois "Inedito", lançado em novembro, encerrou o jejum. Assim como o Black Sabbath, a cantora foi mais uma a aproveitar a coincidência numérica da data (11/11/11), já que, como ela faz questão de ressaltar, "Inedito" é seu 11º álbum.

Getty Images
Laura Pausini em apresentação no Grammy de 2009
Com fala pausada e leve sotaque lusitano, Laura explicou ao iG que precisava muito de uma pausa, mesmo que aquele fosse, segundo ela, o momento mais importante de sua carreira – seguindo o sucesso de vendas de "Primavera in Anticipo" (2008) e do ao vivo "Laura Live World Tour 09".

"Viajava, sem descanso, desde os 18 anos. É muito tempo. Queria tempo para parar e pensar na minha vida enquanto mulher, antes de ser cantora. É um privilégio não pensar, mas pouco maduro. Precisava conhecer uma parte diferente de mim – tudo o que não conheço é uma atração. Era importante e precisava ter coragem para isso. No meu caso, também ajudou o disco."

A experiência influenciou o modo como Pausini cria música, mas não espere nenhuma radicalidade em "Inedito": o pop romântico da cantora, repleto de baladas, continua intacto.

"Não é um disco de revolução, nem quer ser um disco de mudança. Tem uma evolução nos arranjos, mas é um disco de Laura Pausini. Quero que as pessoas compreendam que não é necessário fazer uma grande mudança para uma evolução."

O avanço, conforme Laura, se deu no momento de compor. As canções saíram com maior maturidade e ponderação.

"Anos atrás, quando compunha, não era capaz de escrever algumas coisas como agora. Tinha muito mais raiva. Agora não fico assim. Minha música é reflexo da minha personalidade: minhas experiências, meus sonhos, meus problemas. Não conheço outra forma de fazer música. Sou muito sincera."

Falsa gravidez

Essa transparência, não é de hoje, alimenta a imaginação e páginas e páginas da imprensa italiana. Muita gente especulou que o objetivo da pausa seria concretizar uma sonhada gravidez – Pausini mais de uma vez expressou o desejo de ser mãe. Quando o nome do primeiro single de "Inedito" foi divulgado, parecia a confirmação que todos estavam esperando: "Benvenuto" é "bem-vindo" em italiano.

Veja a letra e ouça a música "Benvenuto"

Mas a história não procede. "Estou acostumada. Desde que comecei, fiquei grávida todo ano [segundo os jornais], teria uns oito filhos hoje", brincou a cantora.

Apesar de achar graça da situação, ela não consegue disfarçar uma certa melancolia. O assunto, claramente, lhe perturba, mas está, segundo Pausini, nas mãos de Deus.

"Sou jovem [37 anos] e muito tranquila. Não é possível 'organizar' um filho. Um filho não é como um concerto, que se pode escolher quando fazer. Sempre acreditei em destino, na minha vida pessoal e no trabalho. Se Deus quiser que eu tenha um filho, maravilhoso. Se não quiser, fico feliz também. Uma pessoa que tem uma família grande como a minha, que gosta de mim, não precisa se preocupar tanto com isso."

Cantora poliglota

Fora a Itália, Laura Pausini faz também um sucesso imenso na América Latina. Não surpreende, portanto, que todos os seus discos – com exceção de "From the Inside" (2002), em inglês – tenham sido lançados em duas versões, italiano e espanhol. Com "Inedito", não vai ser diferente.

A cantora explicou que as músicas em línguas diferentes são gravadas sempre na mesma sessão, a partir do fim da tarde. "Canto cinco vezes em italiano e cinco vezes em espanhol. Depois escuto as versões e decido de qual gosto mais. Não gravo em dias diferentes porque a voz pode mudar, a intenção emotiva também. Quero que escutem a mesma coisa na Itália, no Brasil e México. Depois que conheci a América, minha vida verdadeiramente mudou. É como se fosse minha casa."

Getty Images
A cantora Laura Pausini
Fascinada por idiomas, Laura não sabe ao certo como consegue falar português tão bem, apesar da modéstia ("não pratico há dois anos"). "Quando era criança, cantava muitas músicas brasileiras. Agora tenho algumas amigas que moram no Brasil, e elas escrevem em português para eu aprender."

Ela nunca gravou um álbum totalmente no idioma, mas tem por hábito escrever e gravar uma canção ou outra. Na versão brasileira de "Inedito", a faixa "No Primeiro Olhar" consta como bônus. A decisão por gravar em português, garantiu, é pessoal, não mercadológica.

"Quero que vocês saibam que todas as vezes que canto em português não é porque a gravadora me pediu, mas porque quero. Só digo que tenho uma canção a mais. Nem pergunto antes, tenho medo que digam não."

De música brasileira contemporânea, Pausini se diz fã de Maria Gadú. "Nos últimos dois anos, muito poucas vezes músicas brasileiras chegaram aqui [na Itália]. Mas Maria Gadú é um sucesso. Gosto muito, parece uma criança dentro de um corpo de mulher."

Em janeiro, o Brasil vai sediar a abertura da turnê latina da cantora. Inicialmente, estavam marcados dois shows em São Paulo, mas como o primeiro esgotou rapidamente e a procura por ingressos continuava intensa, um terceiro foi confirmado. A viagem continua depois por Argentina, Chile, Peru, Venezuela, Costa Rica, Panamá, República Dominicana e México.

Siga o iG Cultura no Twitter

Mas não é só isso. Em outubro, Laura volta ao Brasil para se apresentar em Porto Alegre, Curitiba e Rio de Janeiro. Ela ainda torce para uma quarta cidade entrar no roteiro. "Gostaria muito de tocar em Brasília, sou apaixonada. Já comprei muitos livros a respeito, a conheço muito bem."

Abaixo, veja o clipe de "Benvenuto".

null

    Leia tudo sobre: Laura Pausinimúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG