Apagada, Macy Gray fica devendo festa no show em São Paulo

Marco Tomazzoni |

Um dos maiores expoentes da música pop negra nos últimos anos, Macy Gray tem fama de levar festa aonde quer que esteja. Sua mistura de rock, funk, soul e r&B, além da voz mais do que característica, contagia desde o final da década passada, quando estourou com o hit I Try, e já passou ao vivo mais de uma vez pelo Brasil, a última delas ano passado, na praia de Copacabana, durante o festival Live Earth. Ontem à noite, no entanto, em São Paulo, na primeira parada de uma nova turnê pelo país, a cantora ficou devendo uma performance mais quente, deixando o público que compareceu em bom número ao HSBC Brasil em banho-maria.

Assista a trechos do show em São Paulo

Veja galeria de fotos da apresentação

Ouça os sucessos de Macy Gray no MusiG

Gray subiu ao palco com uma hora de atraso, talvez porque no horário marcado boa parte da platéia ainda não havia chegado. Como as apresentações ainda fazem parte da divulgação do álbum Big , de 2007, o show foi aberto com a faixa Get Out, apesar do disco, na verdade, acabar esquecido pouco depois. A partir da primeira música, já dava para se ter uma idéia de como seria a noite: qualidade de som fraquíssima e uma cantora, conseqüentemente, bastante apagada.

Boa vontade ela até teve. Desde o início, Macy tentou se comunicar bastante com a platéia, elogiando a beleza dos brasileiros e querendo que fizessem jus à fama de que sabem fazer uma festa. A banda competente, em especial guitarra e teclado (pilotado por um clone de Miles Davis), e as backing vocals animadas também contribuíam para que despontasse o clima perfeito, mas a receita, incrivelmente, não deu certo.

When I See You, que veio na seqüência, ameaçou empolgar, e mostrou uma faceta de que se repetiria ao longo da noite. Com coreografia e figurinos idênticos (apesar da diferença de altura e largura), lembrando os grupos vocais femininos da década de 1950, as backings tomaram conta da cena e chegaram a ofuscar a protagonista do espetáculo. Mais do que generosidade de Macy, era a prova de que ela não estava em seus melhores dias e de que não havia jeito dos técnicos acertarem o volume de seu microfone: a voz dela ficou baixa o tempo todo.

O público tentou se animar e, alheio aos problemas, dançou durante todo o show (mesmo que discretamente). Glad Youre Here e um cover bem-intencionado de Creep, do Radiohead, ameaçaram fazer a tal festa aparecer, mas ela não vinha. A coisas começaram a melhorar a partir de Why Didn't You Call Me, hit do álbum de estréia, quando a cantora desceu para cantar a música junto com os fãs do gargarejo. As baladas Things That Made Me Change e Sweet Baby se seguiram, para culminar na animada Still, numa longa versão que teve uma citação a Groove is in the Heart, do Dee-Lite.

Os momentos inusitados da noite ficaram por conta do ajudante tresloucado que acompanhou o reggae-cigano Oblivion mostrando a letra em folhas de cartolina e a tentativa de Macy de achar o equivalente em português para fuck. Finalmente chegou a tão esperada hora de ouvir I Try. Foi o único momento em que a platéia realmente cantou com vontade, mas, mesmo assim, pelo mérito da música, e, de novo, pela performance das vocalistas, que chamaram a atenção e contagiaram o público com agudos a la Mariah Carey.

O sucesso provocou calor suficiente para chamar o bis, quando o HSBC Brasil já se esvaziava. Uma longa introdução instrumental se seguiu e, após uma segunda troca de figurino, a cantora voltou ao palco no piloto automático. A habitual cover de Que Sera, Sera, de Doris Day, veio numa versão quase gospel e encaminhou o show para o final. O público acompanhou, disposto e simpático, mas a tão alardeada festa ficou para a próxima.

Quem sabe no próximo final de semana? Macy Gray segue para o Rio de Janeiro, onde se apresenta na quinta-feira (29) no Vivo Rio, mas volta para São Paulo no domingo, quando canta ao lado do pianista Herbie Hancock no Parque Villa-Lobos, em show aberto ao público.

Veja a lista de faixas do show de ontem na capital paulista:

Get Out
When I See You
Relating to a Psycopath
Glad Youre Here
Creep
Ghetto Love
I've Committed Murder
Do Something
Caligula
Why Didn't You Call Me
Things That Made Me Change
Sweet Baby
Still
 Oblivion
I Try
Que Sera, Sera
"I Cant Wait to Meetchu"

Compre músicas de Macy Gray.

Leia mais sobre Macy Gray .

    Leia tudo sobre: macy gray

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG