Álbum póstumo de Amy Winehouse deve ser lançado em breve

Apesar de material não estar terminado, porta-voz ligado à gravadora da cantora revelou planos a jornal inglês

iG São Paulo |

Pelo menos 12 músicas inéditas de Amy Winehouse podem ser lançadas em disco em breve, revelou um porta-voz ligado à gravadora Universal, que preferiu não ser identificado, ao jornal britânico Guardian. Este é mais um capítulo na grande novela que se transformou o terceiro disco da cantora de 27 anos, encontrada morta no sábado (23) em sua casa em Londres.

Acesse o especial sobre Amy Winehouse

Getty Images
Amy Winehouse: novela sobre disco novo se arrasta há três anos
Desde que lançou "Back To Black", em 2006, Amy entrou em estúdio algumas vezes, tanto com Mark Ronson como com Salaam Remi, produtores de seus dois primeiros álbuns, mas nunca chegou a finalizar os trabalhos. Uma das histórias sobre o álbum conta que sua gravadora recusou o material gravado pela cantora em 2009 no caribe por ser "reggae demais".

O porta-voz, no entanto, deixou claro que o material a ser lançado não está terminado. "Ela gravou rascunhos de músicas e algumas estão mais avançadas que outras", disse ao Guardian. Segundo ele, nos últimos tempos Amy expressou a vontade de entrar em estúdio, inclusive para "se distrair das outras coisas com as quais ela tinha que lidar."

Siga o iG Cultura no Twitter

Quando se sentia contente com alguma nova música, Amy a mostrava para o diretor da Island Darcus Beese ou para o CEO da Universal Lucian Grainge. "Todos estavam ficando muito animados (com as canções). Ouvimos versões demos e elas eram muito boas, soavam como a velha Amy", disse o porta-voz.

Após a morte da cantora, obviamente, as especulações sobre um novo disco cresceram. O potencial de vendas de um – ou mais – lançamento póstumo é enorme, e todos na Universal parecem saber disso. De acordo com uma fonte próxima ao staff da cantora, há bem mais do que 12 canções compostas, apesar de estarem em estágios iniciais. "Elas precisam passar por um bom produtor para virarem canções", ponderou ao Guardian. Além disso, todo material inédito a ser lançado deverá ter autorização da família da cantora.

A novela do terceiro disco de Amy se arrasta desde 2008, quando Lucian Grainge revelou que havia escutado algumas versões demos da cantora. Em julho do ano passado, Amy garantiu em uma entrevista ao jornal britânico Metro que o disco sairia em seis meses.

Mark Ronson, seu produtor, no entanto, revelou à época que a cantora não possuía material suficiente para um álbum. "Quando ela tiver dez músicas podemos entrar em estúdio", disse. Em abril, a afilhada da cantora, Dionne Bromfield, revelou em entrevista ao site Digital Spy que havia ouvido o novo disco de Amy e que ele era "muito bom".

Familiares e amigos se despediram da cantora durante uma cerimônia de 45 minutos no cemitério de Edgwarebury, no norte de Londres, nesta terça-feira (26). Entre 300 e 400 pessoas participaram da cerimônia privativa, segundo o amigo da família Alfie Ezekiel.

A polícia de Londres declarou que a autópsia realizada no corpo da cantora não revela a causa de morte . Em carta aberta, foi divulgado que novos exames toxicológicos serão feitos e o resultado ficará pronto entre duas e quatro semanas.

    Leia tudo sobre: amy winehousemark ronson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG