Grupo Franz Ferdinand mantém a animação mesmo com falta de público, em São Paulo

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar de não tocar para uma casa lotada, banda escocesa manteve a energia alta e confiou na força dos hits antigos em apresentação no Espaço das Américas, nesta terça-feira (30)

Em sua sétima passagem pelo Brasil, o grupo escocês Franz Ferdinand apresentou as músicas do quarto disco de estúdio, "Right Thoughts, Right Words, Right Action (2013)", no Espaço das Américas, em São Paulo, na noite de terça-feira (30). Nesta quinta (2), o grupo toca no Rio de Janeiro (Vivo Rio), com ingressos de R$180 a R$600.

Franz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/DivulgaçãoFranz Ferdinand toca em São Paulo. Foto: Fábio Nunes/Divulgação

Com repertório em sua maior parte dançante e sempre bem executado, o FF confirmou a razão de ainda ser uma das bandas mais carismáticas do revival pós-punk surgido no começo dos anos 2000, cena que deu visibilidade também a grupos como Interpol, The Strokes, The Killers e Arctic Monkeys.

Apesar dos espaços vazios (o local comporta 8000 pessoas, mas aparentava ter metade do público), o show começou às 22h15, após uma abertura impecável feita pelos brasileiros do Boogarins. O Franz entrou com "Right Action", música do mais novo disco, seguida por "No You Girls" e "Tell Her Tonight".

A unidade e o profissionalismo do quarteto - que é o mesmo desde a formação em Glasgow, em 2002 - mostra-se firme. A apresentação foi equilibrada por momentos altos de cantoria com músicas como "The Dark of the Matinée", "Michael", "Take Me Out" e "Walk Away", e de calmaria com as faixas do novo disco, que têm fraseados mais discretos de guitarra e foco maior nos teclados, como em "Brief Encounters" e "Evil Eye".

Com figurinos de estampas geométricas em preto e branco, o guitarrista e vocalista Alex Kapranos, acompanhado por Nick McCarthy (guitarra e vocal), Bob Hardy (baixo) e Paul Thomson (bateria), manteve os carões, as risadas, as ajeitadas nos cabelos e os saltos característicos. A já tradicional batucada coletiva na bateria ao final de "Outsiders", antes do bis, também foi mantida.

Depois de uma pausa rápida, eles tocaram "Jacqueline" com uma breve introdução de Kapranos: "Essa música é sobre uma garota. Tantas músicas são sobre uma garota"; seguida pela nova "Goodbye Lovers & Friends" e a grandiosa "This Fire", que contou com uma brincadeira proposta pelo líder, que pediu para o público abaixar e pular muito no refrão.

Poucos, mas obedientes, os fãs quase sentaram no chão para colaborar com a apresentação que terminou de maneira leve, alegre, quase duas horas depois, e que deixou boas lembranças de mais um show do carismático Franz Ferdinand.

Leia tudo sobre: Franz Ferdinand

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas