Skank ao iG: "A gente se permite fazer coisas com menos cara radiofônica"

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Grupo lança o disco "Velocia" depois de uma pausa de seis anos sem mostrar um trabalho de inéditas; Baterista fala ao iG

Após um intervalo de seis anos sem lançar um disco de inéditas, o Skank volta com "Velocia", criado durante uma imersão de 10 meses dentro do estúdio. Ao contrário do nome, que inspira "velocidade", o disco veio "sem urgência de contrato, sem nenhuma ideia pré-concebida", conta ao iG Haroldo Ferretti, baterista do grupo.

Skank lança o disco 'Velocia'. Foto: DivulgaçãoSkank lança o disco 'Velocia'. Foto: DivulgaçãoSkank lança o disco 'Velocia'. Foto: Divulgaçãoskank. Foto: (Divulgação)Show do Skank no Rock in Rio 2013. Foto: Foto Rio NewsShow do Skank no Rock in Rio 2013. Foto: Foto Rio NewsShow do Skank no Rock in Rio 2013. Foto: Foto Rio NewsShow do Skank no Rock in Rio 2013. Foto: Foto Rio NewsShow do Skank no Rock in Rio 2013. Foto: Foto Rio NewsShow do Skank. Foto: Vivian FernandezSamuel Rosa, do Skank, no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO vocalista do Skank, Samuel Rosa. Foto: Stephan Solon / Via FunchalSkank. Foto: Divulgação

"Foi o tempo de sentir a necessidade de renovar a foto da carteira de identidade, de ter novos assuntos, novas ideias, ter todo mundo a fim de gravar sem necessariamente atender a uma urgência de indútria fonográfica", explica. O novo trabalho sucede "Estandarte" (2008) e foi produzido por Dudu Marote e Renato Cipriano.

As gravações foram feitas em Belo Horizonte, Minas Gerais, mas alguns metais adicionais e cordas foram captados no estúdio Abbey Road, em Londres, lendário por ter gravado grupos como os Beatles. Esse não foi o primeiro contato do Skank com o Abbey Road, já que o disco "Siderado" (1998) foi mixado por lá.

O arranjador norte-americano Rob Mathes organizou violinos, violas, cellos, trompete, trombone, sax e flauta para atender à inspiração do grupo em "Velocia". "Rob foi muito receptivo desde o primerio momento. Infelizmente, não deu para a banda toda ir até lá. Já pensamos em gravar um disco em Abbey Road, não seria uma ideia muito inédita, mas seria muito bom."

O trabalho novo mantém as característica do Skank de sempre, com rock, pop, um pouco de sintetizadores e elementos eletrônicos, toques suaves de reggae e melodias para cantar junto. "Nessas de entrar no estúdio sem uma ideia pré-concebida, acabou saindo um disco que tem referências do início (da carreira) e dos anos 2000, com a impressão de unificar vários momentos. O espírito do grupo se mantém", diz Haroldo.

Apaixonado por futebol, o grupo incluiu o tema em seu novo repertório, algo que soa lógico por ser o Brasil o país-sede da Copa de 2014. A faixa que abre o disco, "Alexia", tem inspiração em um vídeo que o vocalista e guitarrista Samuel Rosa encontrou na internet. O vídeo mostra um golaço feito por Alexia Putellas, 20 anos, jogadora do Barcelona e da seleção espanhola de futebol feminino.

"O Skank é uma banda que tem uma ligação forte com futebol, mas não haverá uma tentativa de fazer uma música que seja mais emblemática como 'É Uma Partida de Futebol', que é um hino e acabou", brinca. A temática do futebol aparece claramente na segunda faixa do disco, "Multidão", que tem a participação de BNegão.

Sobre a responsabilidade de fazer hits, já que em 23 anos de carreira o Skank conseguiu manter uma frenquência notável de músicas que tiveram boa rotação na mídia, Haroldo diz que apenas "há uma cobrança para fazer coisas que estejam em nosso universo".

"A gente escolheu fazer parte desse mundo de rádio, mas não existe patrulhamento para que isso aconteça. A gente se permite fazer coisas com menos cara radiofônica e outras que sentimos que têm aptidão para isso. Essas a gente tenta lapidar para que fiquem bem nas rádios e nos shows, para que as pessoas conheçam."

"Velocia" tem mais alguns convidados, como Nando Reis ("Alexia" e outras faixas, também como co-autor), Lucas Silveira ("Do Mesmo Jeito"), Lia Paris ("Aniversário"), Emicida ("Rio Beautiful" e "Tudo Isso"). As ilustrações aquareladas da capa e do encarte foram feitas pelo artista espanhol Oriol Angrill Jordà.

Leia tudo sobre: skankmúsicaentrevistavelocia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas