Vocalista do grupo Band of Skulls confirma show no Brasil; Leia entrevista ao iG

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Russell Marsden conta que apresentação será "no final do ano ou no começo de 2015"; Grupo divulga o disco "Himalayan"

Russell Marsden, guitarrista e vocalista do grupo Band of Skulls, não revela muitos detalhes de sua futura vinda ao Brasil para shows "que devem acontecer no final do ano ou no começo de 2015", antecipa ao iG. "Se der para fazer uma turnê pela América do Sul, será perfeito", completa. O grupo tem viajado bastante para mostrar o novo "Himalayan", seu terceiro disco de estúdio, lançado em março deste ano.

Divulgação
Band of Skulls

Um dos principais compositores do Band of Skulls, Marsden também não revela a idade - nem a própria e muito menos a de seus colegas de banda, Matt Hayward e Emma Richardson. "Talvez esse seja um de nossos segredos", diz. "Sou mais velho que eles, temos idades diferentes, mas não vou dizer qual é. Exceto que conheci o Matt aos 11 anos, pode ser?", brinca, mantendo o mistério.

O Band of Skulls é um power trio formado Southampton, na Inglaterra, por Marsden e o baterista Matt, que é seu amigo desde a infância. O grupo começou a ensaiar em 2004 e, à época, atendia pelo nome de Fleeing New York. A formação ficou completa com a entrada da baixista Emma, que Marsden conheceu na faculdade. Em 2008, decidiram trocar o nome para Band of Skulls.

"As pessoas não nos conheciam antes (como Fleeing New York), agora é que estamos surpreendendo. No momento em que mudamos de nome, isso nos deu muita liberdade por não estarmos amarrados a nada que fizemos antes. A música virou algo maior do que o nome", conta Marsden sobre a visibilidade que o grupo alcançou assim que assumiu a nova identidade, tanto em seu nome quanto no som.

A musicalidade do grupo tem influências de indie rock, garage rock e um pouco de blues, com canções que dialogam com o trabalho de bandas como Black Keys, Dead Weather e The Raveonettes. Antes de "Himalayan", produzido por Nick Launay (que trabalhou com artistas como Gang of Four e Talking Heads), o Band of Skulls fez sua estreia com "Baby Darling Doll Face Honey" (2009) e "Sweet Sour" (2012).

Ao longo dos últimos cinco anos, o grupo vem espalhando sua marca ao participar de trilhas sonoras de grande alcance jovem, como na compilação feita para o filme "A Saga Crepúsculo: Lua Nova", em episódios das séries "True Blood" e "Gossip Girl", além de jogos de videogame como o "FIFA World Cup 2010" e "Gran Turismo".  

Outro fator que tem contribuído para disseminar as guitarras melódicas do Band of Skulls são as parcerias em shows de artistas já estabelecidos, para os quais o grupo chegou a tocar como banda de abertura. Queens of the Stone Age, Black Rebel Motorcycle Club e Black Keys são alguns exemplos.

"Você aprende mais com outros artistas e é ótimo fazer parte disso. Quando vamos ao estúdio, sentimos que o rock and roll continua lá e que temos mais responsabilidade", conta. Prolífico, em 10 anos de carreira o grupo também lançou dois discos gravados ao vivo ("KCRW's Morning Becomes Eclectic", de 2010 e "Live at Brixton", de 2012). 

Como resultado do trabalho puxado, "que tem levado meses fora de casa", Marsden analisa que vem sentindo uma diferença no público. "Estamos tendo muita sorte, temos tocado bastante e estamos construindo uma base de fãs", comemora. "As pessoas começaram a reconhecer as músicas novas imediatamente. O público ouve o disco antes do show, então começa a curtir desde o começo."

Leia tudo sobre: band of skullsmúsicaentrevistaRussell Marsden

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas