Lollapalooza: Arcade Fire, Soundgarden e Vampire Weekend se destacam no domingo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo dia do festival reuniu menos público do que no sábado e transcorreu com mais tranquilidade

Se no sábado, com lotação esgotada (70 mil pessoas), o público do Lollapalooza sofreu com filas e dificuldade de locomoção, no domingo, com menos gente (60 mil, segundo os organizadores), esses problemas foram praticamente inexistentes. Assim, quem foi ao autódromo de Interlagos conseguiu concentrar-se apenas nos shows.

Lollapalooza: sábado tem multidão e bons shows de Lorde e Disclosure

Arcade Fire fecha a terceira edição do Lollapalooza . Foto: Claudio Augusto / iGChris Cornell em show do Soundgarden no Lollapalooza. Foto: Photo Rio NewsA banda novaiorquina Vampire Weekend tocou neste domingo (6) no Lollapalooza 2014. Foto: Manuela Scarpa/Photo Rio NewsShow do Savages no Lollapalooza 2014. Foto: Camila Cara/DivulgaçãoBaauer se apresentou esse domingo (6) na tenda Perry do Lollapalooza Brasil 2014. Foto: Gustavo Abreu / iGPixies apresenta-se no Lollapalooza 2014. Foto: Claudio Augusto / iGShow de Jake Bugg no Lollapalooza 2014. Foto: Claudio Augusto/iGA cantora britânica Ellie Goulding tocou no Lollapalooza 2014 neste domingo (6). Foto: Claudio Augusto/iGShow de Johnny Marr no Lollapalooza 2014. Foto: AgNews

Dois dos principais nomes da noite fecharam o segundo e último dia de Lollapalooza. No palco Interlagos, o New Order, banda com mais de três décadas de vida, recheou a apresentação de uma hora e meia com hits antigos e algumas faixas mais recentes. As clássicas, como "Temptation" e "Love Will Tear Us Apart" (que encerrou o show), foram, claro, as que mais arrancaram gritos do público.

No mesmo horário em que o New Order tocava, os canadenses Arcade Fire fechavam o palco Skol. Banda bem mais nova que o New Order, o AF concentrou parte do show no recente disco "Reflektor". A banda entrou no palco com fantasias e máscaras, e encerrou a boa apresentação em um clima festivo, com o hino "Wake Up".

Pela primeira vez no Brasil, o grupo de Seatlle Soundgarden fez uma concorrida apresentação no início da noite. Sem disco recente na bagagem, a banda, liderada pelo vocalista Chris Cornell relembrou os anos 1990 com faixas como "Black Hole Sun", "Outshined", "Superunknown" e "Jesus Christ Pose". O show agradou, mas ficou evidente que a voz de Cornell já não é mais a mesma e sofreu em algumas notas mais altas.

O jovem cantor inglês Jake Bugg, de apenas 20 anos, foi uma das surpresas deste Lollapalooza. Com um show musicalmente simple, que transitava entre um rock e um folk tradicionais, Bugg fez um mar de adolescentes cantarem faixas como "Seen It All".

Outros veteranos, os Pixies não fizeram um de seus melhores shows. A banda parecia apática, e foram poucas as canções que realmente empolgaram. 

Já os novaiorquinos Vampire Weekend fizeram das mais animadas apresentações do festival. A complexidade sonora do grupo, que vai do folk e do pop a influências africanas, emoldura uma festa que pode ser comparada a uma micareta indie - no bom sentido.

O palco Perry, dedicado à dance music, foi tomado durante a tarde de domingo pelo norte-americano Baauer, que em 2013 ficou conhecidíssimo pelo hit/meme "Harlem Shake". A música foi devidamente tocada e retocada em seu set.

Também à tarde, e sob um forte sol, o novo quarteto feminino Savages não decepcionou com um pós-puni agressivo, pesado e enérgico. Já a cantora inglesa Ellie Goulding levou ao Lollapalooza um pop de acento dançante e mostrou empolgação. E o veterano guitarrista Johnny Marr relembrou sua ex-banda, os Smiths, em faixas como "How Soon Is Now".


 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas