Excursão que chega ao Brasil nesta quinta-feira (20) teve 330 shows, mudanças de formação e polêmicas; veja curiosidades

Nesta quinta-feira (20), o Guns N’Roses inicia no Rio de Janeiro a maior turnê brasileira que já fez. Serão sete shows, passando também por São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre.

É uma maratona, mas a turnê do disco Chinese Democracy (2008) – o mais “recente” da banda – também é. E também é complexa, já que os shows com as músicas do álbum começaram em 2001, sete anos antes do lançamento do trabalho.

Leia também: Março é mês de grandes artistas no Brasil; saiba mais

Abaixo, sete fatos curiosos sobre a excursão que, apesar de ter mudado de nome algumas vezes, já dura 13 anos.

1 - A duração das apresentações da banda quase nunca é curta, chegando com frequência às 3 horas. Mas em um show em Tóquio, Japão, em dezembro de 2009, a performance se transformou em prova de resistência, marcando exatas 3h37 de música.

2 - A quantidade de shows da turnê é impressionante: 330 (incluindo já os da parte sul-americana, neste ano). O começo, entre 2001 e 2002, foi tortuoso, com 36 apresentações canceladas.

Axl Rose durante show do Guns N'Roses em Sydney, na Austrália, em março de 2013
Getty Images
Axl Rose durante show do Guns N'Roses em Sydney, na Austrália, em março de 2013

3 - Apesar dos eternos conflitos entre Axl Rose e os integrantes da formação clássica, dois integrantes participaram de shows da banda nos últimos anos.

O guitarrista Izzy Stradlin aparece de vez em quando e, segundo o vocalista, “pode voltar sempre que quiser”. E o baixista Duff McKagan cruzou Axl em um hotel londrino, em outubro de 2010, e acabou no palco de um show. No ano seguinte, a banda de McKagan, Loaded, abriu alguns shows.

Siga o iG Cultura no Twitter

4 - “Live and Let Die” (do Wings de Paul McCartney) e “Knockin’ on Heaven’s Door” (Bob Dylan) constantemente estão no repertório dos shows, mas outras versões menos óbvias (e nunca gravadas em estúdio) também dão as caras: “My Generation” (The Who), “Riff Raff” (AC/DC) e “Don’t Let It Bring You Down” (Neil Young) já foram tocadas. Em jams, até “I Want You Back”, do Jackson 5, apareceu.

5 - Durante a última passagem do Guns N’Roses por São Paulo em 2010, o grupo quase fez um minúsculo e histórico show em uma casa noturna. O equipamento foi montado e...nada. Noite adentro, técnicos começaram a guardar os instrumentos e uma série de brigas se iniciou no local. Axl desabafou durante a apresentação do dia seguinte, xingando os organizadores do pocket show.

6 - Desde 2001, a formação do grupo mudou algumas vezes. Abandonaram o barco: Paul Tobias (guitarra), Bryan “Brain” Mantia (bateria), Buckethead (guitarra) e Robin Finck (guitarra).

7 - O Rock in Rio parece ter um lugar especial na agenda de Axl e companhia. Só na fase Chinese Democracy, o grupo tocou duas vezes no evento do Rio (em 2001 e 2011) e uma em Lisboa (2006), além de ter cancelado um show que faria na edição de Portugal, em 2004.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.