Thiaguinho e autores de faixas como "Beijinho no Ombro", "Louquinha" e "Piradinha" contam quais são as técnicas utilizadas para produzir uma canção popular

Frases simples, palavras da moda, memes vindos da internet e assuntos divertidos relacionados a festas e curtição. Esses são os temas aos quais os compositores recorrem para criar uma música de sucesso.

"Você tem de entrar na cabeça do baladeiro. Tenho essa vantagem porque já estou na pista", conta ao iG  Dennis DJ, compositor de "Louquinha", que liderou o ranking do Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) entre as canções mais tocadas nas casas noturnas brasileiras em 2013.

Siga o iG Cultura no Twitter

O segredo para fazer um hit, explica Dennis, está em ser observador e aplicar o conhecimento que adquiriu em sua carreira como DJ. "Sei quais são as palavras e a 'maldadezinha' da noite que funcionam, que têm peso. Sei que a mulher gosta de empinar a bundinha, sabia que isso funcionaria na balada."

O cantor Thiaguinho, compositor de músicas como "Ousadia e Alegria" e "Fugidinha", conta que o desafio de fazer um hit é "atingir as pessoas com a história e a melodia da música". "Eu não me preocupo com nada quando estou compondo. A única intenção é participar da vida das pessoas com as canções levando energia boa, amor e alegria."

Para Wallace Vianna, um dos compositores de "Beijinho no Ombro", hit interpretado pela funkeira Valesca Popozuda, as ideias para as rimas da música foram inspiradas em postagens de Facebook e situações que observou.

Leia mais: Valesca Popozuda diz: "Mulher sofre de recalque"

"Geralmente surge um bordão nas páginas do Facebook e acabamos 'pescando'. A função do compositor é externar uma ideia ou pegar informações de fora. Para fazer 'Beijinho no Ombro', vi alguns gays fazendo (o gesto) e achei muito legal."

Já o compositor de "Piradinha" e "Gatinha Assanhada", Gabriel Valim, afirma que "não tem essa de sentar para compor um hit". "Não tem nenhum tipo de mágica. O difícil é fazer o simples. (Criar um hit) é uma coisa que acontece com o decorrer do trabalho e com dedicação para descobrir a linguagem do público."

Valim destaca que, para fazer uma música que toque na balada, é importante que o tema da letra "fale" com o clima de festa. "Fazer uma música bem feita sobre política, que chame a atenção do povo, também é legal. Já para uma música dançante, de festa, não dá para escrever uma letra sobre um papo diferente do que acontece na balada."

O cantor e compositor Alexandre Carlo, voz do grupo de reggae Natiruts, que emplacou músicas como "Andei Só" e "Presente de um Beija-Flor", acredita que o nascimento de um hit não depende da escolha de um tema, mas que "seria uma questão do que você (o autor) se sente mais à vontade para compor".

Em outros países, os compositores de hits não trabalham de um modo muito diferente se comparado ao Brasil. Para o produtor e compositor Benny Blanco, que está por trás das músicas "Diamonds", de Rihanna, e "Payphone", do Maroon 5, os hits precisam ter letras com as quais as pessoas se identifiquem.

"Tudo (na música) precisa ser atraente, porque um ouvinte pode tanto guardar a canção quanto perder seu interesse por ela em cinco segundos. As pessoas gostam de músicas que as façam pensar: 'Sim, eu passei por isso'", disse em entrevista à CNN.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.