Marcelo Jeneci: "Componho para tocar na casa das famílias brasileiras"

Por Susan Souza , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cantor faz em São Paulo shows de lançamento do disco "De Graça", influenciado por música brasileira e psicodelia

Marcelo Jeneci chega ainda mais doce em "De Graça", seu segundo disco. Com mensagens densas, porém otimistas, ilustradas por galáxias e oceanos nas artes do disco, o músico paulistano conta ao iG que gosta de fazer "melodias de caminhos fáceis, sedutores e, ao mesmo tempo, originais".

Marcelo Jeneci. Foto: Daryan Dorelles/DivulgaçãoMarcelo Jeneci. Foto: Daryan Dorelles/DivulgaçãoO cantor Marcelo Jeneci, na casa de seus pais em Guaianases. Foto: Augusto GomesLaura Lavieri e Marcelo Jeneci. Foto: DivulgaçãoMarcelo Jeneci e Curumin em show no Rock in Rio. Foto: Augusto GomesMarcelo Jeneci. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioMarcelo Jeneci. Foto: Bianca Tatamiya/Divulgação

O lançamento será nesta sexta (17), sábado (18) e domingo (19) na choperia do Sesc Pompeia, em São Paulo. Nos shows, Jeneci apresentará canções em português que trazem ecos que vão de Guilherme Arantes aos psicodélicos roqueiros australianos do Tame Impala, sempre contando com muita sutileza a seu favor.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Cresci escutando música popular, ouvindo muita novela. É mais natural que eu componha para tocar nas casas das famílias brasileiras", explica. "Tento fugir disso de fazer um disco que você ouve e que não fica com nenhuma música no coração. Minha preocupação é ter camadas para sobreviver ao tempo."

O sucessor de seu trabalho de estreia, "Feito Pra Acabar" (2010), foi produzido por Kassin, co-produzido por Adriano Cintra (CSS, Madrid) e arranjado para orquestra por Eumir Deodato - mãos por trás da bossa nova e do samba jazz-, com quem Jeneci trabalhou pela primeira vez.

Divulgação
Capa do disco "De Graça", de Marcelo Jeneci

"Precisava ter alguém que ilustrasse as canções com mais dramaticidade e trouxesse momentos mais instrumentais que parecessem grandes panoramas", diz sobre a participação de Eumir Deodato, que é pianista, arranjador e produtor musical.

Jeneci começou a carreira musical cedo, passando a trabalhar na área aos 15 anos. "Não tive nenhum momento ou algo que me fizesse desistir. Ao contrário. Tudo foi fluente, natural, as coisas foram acontecendo desde muito cedo."

Parte do projeto "Plataforma", os shows do Sesc Pompeia terão Jeneci na voz, teclado, guitarra, violão e sanfona, Laura Lavieri (voz), Regis Damasceno (baixo e violões), Ricardo Prado (guitarra e teclado), Richard Ribeiro (bateria) e Estevan Sinkovitz (guitarra e teclado).

Marcelo Jeneci lança "De Graça"
Sesc Pompeia (r. Clélia, 93, São Paulo)
Dias 17 e 18/1, às 21h30, e 19/1, às 18h30
Ingressos esgotados

Leia tudo sobre: marcelo jenecimúsicaentrevista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas