Morre o músico Phil Everly, da pioneira e influente dupla Everly Brothers

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Artista tinha 74 anos e lutava contra doença pulmonar; ao lado do irmão mais velho, Don, fez sucesso com canções como "All I Have to do is Dream" e "Crying in the Rain"

O músico Phil Everly, da dupla Everly Brothers, morreu nesta sexta-feira (3), aos 74 anos, vítima de uma doença pulmonar crônica. Ele estava internado havia duas semanas em um hospital de Burbank, na Califórnia.

Ao lado do irmão mais velho, Don, hoje com 76 anos, Phil entrou para a história da música como um dos Everly Brothers. A dupla, que se apresentou entre as décadas de 1950 e 1970, ficou famosa por canções tristes disfarçadas em melodias alegres e influenciou artistas como Beatles, Bob Dylan e Simon and Garfunkel.

AP
Don e Phil Everly em apresentação de julho de 1964

Os Beatles, aliás, chegaram a dizer que eram "os Everly Brothers" da Inglaterra. Dylan afirmou certa vez: "Devemos tudo aos Everly Brothers. Eles começaram tudo."

Influente até hoje, a dupla teve canções regravadas por artistas contemporâneos como Billie Joe Armstrong, do Green Day. "Os Everly Brothers soam como dois anjos cantando", disse o cantor recentemente.

Siga o iG Cultura no Twitter

Entre os hits de Phil e Don Everly estão "Wake Up Little Susie", "Bye Bye Love", "Cathy's Clown", "All I Have to do is Dream" e "Crying in the Rain". Em geral, a dupla gostava de combinar letras típicas da música country com um beat mais pop/rock.

Country e rock

Filhos dos músicos Ike e Margaret Everly, Phil nasceu em 19 de janeiro de 1939 em Chicago, nos EUA. Ele e Don começaram a se apresentar ainda na infância e em 1945 cantavam músicas country no programa de rádio da família em Shenandoah, Iowa. Com o passar dos anos, seu som se tornaria mais cosmopolita, mas os dois nunca se afastariam completamente de suas raízes musicais.

Em entrevista à Associated Press em 1986, Don Everly afirmou que os dois fizeram sucesso porque nunca se preocuparam com tendências. "Fazíamos o que gostávamos e seguíamos nossos instintos. O rock'n'roll sobreviveu e estávamos certos sobre isso. O country sobreviveu e estávamos certos sobre isso. Você pode misturar os dois, mas as pessoas diziam que não podíamos."

Phil e Don Everly em apresentação de 1997. Foto: APPhil (esquerda) e Don Everly em foto de 1984. Foto: APPhil (esquerda) e Don Everly em foto de 1960
. Foto: AP

Entre 1957 e 1962, quando estavam no auge, os irmãos tiveram 19 canções no top 40 dos Estados Unidos. A separação veio de forma dramática em 1973, após 16 anos de hits, durante um show na Califórnia. Após Phil jogar seu violão no chão e deixar o palco, Don disse ao público: "Os Everly Brothers morreram há dez anos".

Os irmãos então seguiram carreira solo, sem o mesmo sucesso. Phil participou do filme "Doido para Brigar... Louco para Amar", de Clint Eastwood, cantando a música "Don't Say You Don't Love Me No More", que ele mesmo compôs.

Em 1983 os Everly Brothers voltaram a tocar juntos, "encerrando tudo com um abraço", nas palavras de Phil. E embora os hits tenham diminuído na década de 1980, a dupla ainda fez turnês bem-sucedidas nos EUA e na Europa.

A última apresentação pública de Phil foi em 2011, mas o filho, Jason, afirmou que ele ainda escrevia muitas canções.

Veja vídeo da canção "All I Have to do is Dream":

Com AP

Leia tudo sobre: phil everlyeverly brothersmúsica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas