Com formação de miniorquestra, Liquidus Ambiento aposta em som instrumental

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Banda lança "Oyster", segundo disco da carreira, e acredita no bom momento do mercado para a música instrumental

Zeno Mainardi
Liquidus Ambiento

É com otimismo que a música instrumental brasileira continuará a ser feita em 2014.  "A verdade é que esse gênero cresce em várias frentes e estilos, e certamente teremos um cenário muito promissor", diz ao iG o contrabaixista Master Sam, da miniorquestra Liquidus Ambiento.

Siga o iG Cultura no Twitter

Zeno Mainardi
Liquidus Ambiento

O grupo composto por oito integrantes disponibiliza o novo disco "Oyster" para audição gratuita pela internet. O trabalho, o segundo da carreira, pode ser ouvido em sites de música em streaming, como Soundcloud, Deezer, Rdio e Grooveshark. O show de lançamento oficial está previsto para janeiro de 2014.

"Existem poucos festivais de musica instrumental no Brasil, falta incentivo da cultura para popularizar esse cenário", pontua o baixista, que destaca o interesse de alguns locais por bandas de som instrumental. "Os SESCs têm o melhor ambiente e estrutura para recepcionar os grandes grupos."

Inspirado por nomes como Bootsy Collins e Fela Kuti e estilos que vão do ska ao funk com influências de jazz, rock psicodélico, afrobeat e dub, o Liquidus Ambiento traz em "Oyster" dez faixas autorais. A produção foi feita por Sérgio Soffiati (Orquestra Brasileira de Música Jamaicana).

Como convidados, "Oyster" tem os músicos Siba, Bocato, Beto Villares, Gustavo Da Lua, Kimyaro Ronnie, Sérgio Soffiati e Léo Gervasio.

O Liquidus Ambiento é formado por Master San (contra-baixo), Gil Duarte (trombone, flauta e EFX´s), Igor Thomaz (saxofone, barítono), Felippe Pipeta (trompete), Lello Bezerra (guitarra e EFX´s), Heitor Matos (sitar), Elias Debenedetti (bateria) e Beto Montag (vibrafone e EFX´s).


Leia tudo sobre: músicabandaliquidus ambiento

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas