Bob Dylan é investigado na França por comentários "racistas"

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Organização comunitária croata alegou que comentários que o cantor norte-americano fez para a revista Rolling Stone incitam o ódio racial

Reuters

O cantor norte-americano Bob Dylan está sendo investigado na França porque uma organização comunitária croata alegou que os comentários que ele fez para a revista Rolling Stone no ano passado equivaliam a incitamento ao ódio racial, disseram promotores de Paris nesta segunda-feira (1).

Bob Dylan em show nos EUA, em janeiro. Foto: Getty ImagesBob Dylan. Foto: Getty ImagesBob Dylan recebe Medalha da Liberdade do presidente Barack Obama. Foto: APBob Dylan em 2009, durante sua apresentação no Rothbury Music Festival. Foto: Getty ImagesBob Dylan canta no Grammy. Foto: Getty Images

Na entrevista, publicada pela revista em 27 de setembro de 2012, o cantor disse que o racismo estava paralisando os Estados Unidos.

"Se você tem um senhor de escravos ou (Ku Klux) Klan em seu sangue, os negros podem sentir isso", afirmou, segundo a revista. "Essa coisa persiste ainda hoje. Assim como judeus podem sentir o sangue nazista e os sérvios podem sentir o sangue croata."

Leia também: Após 48 anos, Bob Dylan lança clipe oficial de "Like a Rolling Stone"

A investigação formal foi aberta depois de uma queixa na Justiça feita pela CRICCF, entidade com sede na França, alegando que os comentários do modo como foram transcritos na versão francesa violam as leis sobre ódio racial na França.

A CRICCF não respondeu a um e-mail pedindo que comentasse o assunto. Telefonemas para o empresário de Dylan e a Rolling Stone não foram respondidos de imediato.

Siga o iG Cultura no Twitter

Na França, queixas de racismo automaticamente implicam a abertura de investigações, independentemente do mérito do caso.

Leia tudo sobre: bob dylanculturaracismofrançaroling stone

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas