Em ano de homenagens, Cazuza será "ressuscitado" em show com holograma 4D

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em 2013, o cantor de "Ideologia" é ainda tema de peça teatral e de exposição no Museu da Língua Portuguesa

"Cazuza aglutinava pessoas, era generoso, festeiro, incentivava todo mundo", relembra o músico George Israel, que integra a banda que acompanhará o holograma de Cazuza em show gratuito no dia 30 de novembro, no Parque da Juventude, em São Paulo.

Jodele Larcher
A banda que acompanha o holograma de Cazuza

"É uma responsabilidade muito grande usar a imagem de uma pessoa que já morreu. Sem a Lucinha (mãe de Cazuza) apoiando, não teríamos coragem", conta Israel, que era amigo pessoal de Cazuza e parceiro de composição.

Em junho deste ano, um holograma do cantor Renato Russo foi projetado no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O show "Renato Russo Sinfônico", idealizado pelo filho do artista, teve ainda as participações de Ivete Sangalo, Sandrá de Sá e outros nomes.

O holograma em 4D de Cazuza, morto em 1990, promete dar ao público a sensação de que o artista está em cima do palco, cantando. "Pegamos muitas imagens de TV e cedidas pela família. Teve captação de movimento específico para a boca", disse Nilo Romero, produtor que trabalhava nos shows solo de Cazuza e produtor da atual homenagem.

Jorge Rosenberg/iG
Gal Costa cantará no show do holograma de Cazuza, em 30 de novembro, em São Paulo

O show tem duração de duas horas. O holograma de Cazuza deve cantar cinco músicas por 20 minutos. Os organizadores esperam receber público de 40 mil pessoas.

O restante do espetáculo será preenchido com apresentações de amigos próximos do cantor, como Paulo Ricardo. A cantora Gal Costa, que consagrou a canção "Brasil", sucesso da carreira solo de Cazuza, também está confirmada.

A banda ao vivo terá George Israel, Nilo Romero, Arnaldo Brandão, Leoni, Rogério Meanda e Guto Goffi. Houve uma opção por não chamar artistas sem ligação com o repertório ou que não fossem próximos a Cazuza. "Optamos por uma coisa mais quente", explicou Nilo sobre a escolha dos participantes.

Haverá ainda uma apresentação do holograma no Rio de Janeiro, prometida pelos organizadores para o verão de 2014, com data a confirmar.

55 anos de Cazuza

Além do holograma do "GVT Music - Show Cazuza", alinhado ao site VoltaCazuza, que traz conteúdos exclusivos sobre o artista, há ainda outras homenagens em andamento pelo País para relembrar o trabalho do cantor, que falou sobre amor e política de maneira única.

Divulgação/Vania Toledo
Cazuza

"Parece que está sendo o ano de Cazuza no Brasil", disse Lucinha Araújo, mãe do cantor. Ela explicou em vídeo que, há cinco anos, houve uma tentativa de homenagear Cazuza, mas nada vingou. "Este ano teve o Rock in Rio, o musical, exposição no Museu da Língua Portuguesa e o holograma", enumera.

No Rock in Rio 2013, Ney Matogrosso emocionou a plateia com show de homenagem a Cazuza, que ainda contou com Frejat, Maria Gadu, Bebel Gilberto, Paulo Miklos e Rogério Flausino.

Em cartaz no Rio de Janeiro, o musical "Cazuza - Pro Dia Nascer Feliz", narra através de 20 músicas a história breve do cantor, que morreu aos 32 anos e no auge da carreira.

Já no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, está em cartaz a exposição "Cazuza - Mostra sua Cara". Com curadoria de Gringo Cardia, possui instalações que analisam as letras do poeta de maneira didática, além de exibir objetos pessoais do cantor.

"GVT Music - Show do holograma de Cazuza"
Parque da Juventude (av. Gen. Ataliba Leonel, 500 - Santana, São Paulo)
Dia 30/11, às 19h
Entrada gratuita

Leia tudo sobre: hologramacazuzashowigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas