Rock in Rio: Com 172 tatuagens do Iron Maiden, fã é dono de recorde no Guinness

Por Nina Ramos , iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

"Um pessoal do Japão avaliou minha pele em R$ 79 milhões", disse o ex-pastor Marcos Motolo

É quase impossível não passar pelo ex-pastor Marcos Motolo e reparar seu "tesouro" registrado na pele. O homem de 40 anos tem 90% do corpo coberto por desenhos inspirados na banda Iron Maiden. "E se alguém tentar quebrar meu recorde, faço mais e volto para a liderança", avisou ele, que hoje conta com 172 imagens rabiscadas.

O ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezO ex-pastor Marcos Motolo no Rock in Rio. Foto: Vivian FernandezFã é o recordista brasileiro de tatuagens do Iron Maiden. Foto: Bia AlFã é o recordista brasileiro de tatuagens do Iron Maiden. Foto: Bia Alves/AgNews

Neste domingo (22), último dia da maratona Rock in Rio 2013, Marcos desfilava pela Cidade do Rock apenas de short com seu certificado do Ranking Brasil concedido pelo Guinness Book, o livro dos recordes, nas mãos. Vários fãs abordaram o presidente do fã-clube Piece of Maiden para tirar foto.

"Eu já era o detentor de muitas coisas da banda. Quando eu morrer, essas coisas seriam retirada de mim. Por isso, comecei a tatuar os pôsteres e outros desenhos inspirados no Maiden para levar para o caixão. Isso ninguém vai tirar de mim", contou o fã.

Marcos se gabou dizendo que todas as suas tatuagens são em 3D, "porque fiz em articulações e em lugares de movimento". "Um pessoal do Japão avaliou minha pele em US$ 36 milhões (R$ 79 milhões), mas a Interpol me contatou dizendo que era proibido vender tecidos humanos. Eu já tinha aceitado para vender depois de morrer", contou o fã número 1 de Maiden.

Casado, Marcos tem um filho que, claro, também recebeu homenagem: "Ele se chama Steve Harris, igual ao baixista e fundador da banda". Já a mulher do fã não é adepta de tatuagens e apenas admira os desenhos do marido. "Ela olha de longe, só", disse.

Leia tudo sobre: rock in riomúsicairon maiden

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas