Rock in Rio: "Aumentamos o número de ambulâncias e médicos", diz Roberta Medina

Por Nina Ramos , iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Organizadora do evento afirma que foram feitas "adaptações" após denúncia do Ministério Público

Pouco antes do início dos shows nesta quinta-feira (19), quarto dia de Rock in Rio, a organizadora do evento, Roberta Medina, conversou com o iG no palco Sunset sobre a denúncia do Ministério Público de que não haveria médicos nem equipamentos suficientes no festival.

Saiba tudo sobre o Rock in Rio

Nina Ramos/iG Rio
Roberta Medina, organizadora do Rock in Rio

"Na verdade, houve algumas adaptações, não mudanças. A estrutura já estava toda aqui", disse Medina.

"Aumentamos o número de ambulâncias, de médicos, tudo mais, por via das dúvidas mesmo. Como a estrutura já estava disposta, destacamos mais. Foi um desencontro mesmo."

Em um dos postos médicos, o iG apurou que o número de profissionais no primeiro final de semana do festival era de 25. Já nesta quinta-feira havia 35.

As principais causas de atendimento médico no Rock in Rio são para dor de cabeça, bolhas nos pés, pressão baixa e bebida em excesso.

Sobre esta quinta-feira, dia em que tocam bandas como Metallica e Sepultura, Medina disse:

"Metal não é muito a minha praia, mas eu curto o público do metal. Eles são tranquilos, não arrumam confusão. Costumo dizer que eles brincam brutalmente".

Leia tudo sobre: rock in riomúsica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas