Descalça e com vocal dramático, Florence and the Machine agrada no Rock in Rio

Por Susan Souza , enviada especial ao Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Inglesa apresentou 13 canções em performance emotiva, com destaque para "Dog Days are Over"

Valendo-se apenas de sua voz doce e potente, Florence Welch à frente do grupo que leva o seu nome, Florence + the Machine, começou a apresentação no palco Mundo do Rock in Rio às 22h15 com modestos cinco minutos de atraso.

O show foi aberto com a música "Only If for a Night" e, ao longo de um setlist de 13 canções, a banda mostrou que é possível fazer uma boa performance sem se apoiar em nenhum efeito pirotécnico. No show anterior, o 30 Seconds to Mars usou uma infinidade de artefatos para entreter o público, de acrobatas à chuva de papel picado.

Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG Show de Florence and the Machine no Rock in Rio 2013. Foto: Vivian Fernandez/iG

Além da presença de palco interessante da ruiva Florence, que se entrega à cada canção, o grupo se diferencia das demais bandas de rock por ter um harpista, o músico Tom Monger, entre os seus instrumentos principais. Seu dedilhado de pegada rock-barroca ganha ênfase ao vivo, como na parte final da música "Shake it Out", que foi bastante cantada pelo público.

Florence estava descalça e vestia uma túnica azul transparente e esvoaçante, que é como ela gosta de se apresentar. Com vocais dramáticos, guarda lembranças positivas de cantoras como Kate Bush.

Sorridente e falante, a vocalista pediu para que o público se abraçasse, fez declarações de amor ao Brasil, pulou de um lado para o outro do palco e foi até o público à beira da grade, onde ganhou flores e uma bandeira do Brasil, que enrolou no corpo.

Em turnê com seu segundo álbum, "Ceremonials" (2011), o grupo chegou ao Rock in Rio com status de atração de peso. As primeiras canções, formatadas em torno de bases simples de blues e com pegada roqueira, deram lugar a composições superproduzidas, com arranjos hiperbólicos e emotivos.

O setlist ainda teve músicas como "What The Water Gave Me", "Cosmic Love", "Rabbit Heart", a cover do The Source "You Got the Love", que foi muito cantada pelo público, e os singles "Spectrum" e "Dog Days are Over", canção que encerrou o show.

Saiba tudo sobre o Rock in Rio

Welch e companhia foram a penúltima atração do palco Mundo neste sábado, preparando o público para o show do Muse, que fecha a noite. Antes, passaram por lá Capital Inicial e Thirty Seconds to Mars.

Na sexta-feira (13), primeiro dia de festival, passaram pelo palco Mundo a Orquestra Sinfônica Brasileira, uma homenagem ao cantor Cazuza, a cantora baiana Ivete Sangalo, o DJ francês David Guetta e a estrela pop Beyoncé.

No domingo (15), as atrações serão Jota Quest, Jessie J, Alicia Keys e Justin Timberlake. O Rock in Rio volta a ser realizado na quinta-feira (19) e vai até o próximo domingo (22).

Leia tudo sobre: rock in rioflorence and the machinemúsica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas