Músico se apresenta na terça (23) e na quarta (24) em São Paulo com projeto que mistura guitarras e cinema

Lee Ranaldo
Divulgação
Lee Ranaldo

O guitarrista Lee Ranaldo demonstra ter uma gaveta bem específica para guardar o trabalho e as memórias dos 30 anos em que tocou com o Sonic Youth. O grupo, do qual foi co-fundador ao lado do guitarrista Thurston Moore, da baixista Kim Gordon e do baterista Steve Shelley, é lembrado pelos admiradores de rock alternativo como uma das bandas mais emblemáticas do gênero, famosa pelos vocais sussurrados, guitarras distorcidas e microfonias.

Com o divórcio do casal Moore-Gordon e o consequente fim do grupo (a última apresentação do Sonic Youth foi no Brasil, no festival SWU , em 2011), seus integrantes seguiram caminhos autônomos. Lee Ranaldo veio ao país para uma breve temporada de apresentações no Sesc Pompeia, em São Paulo. Com o projeto Lee Ranaldo and the Dust, tocou nos dias 19/7 e 20/7; já com o Sight Unseen, em parceria com sua mulher, a artista multimídia Leah Singer, o músico se apresenta nesta terça (23) e quarta (24), no Sesc Pompeia.

Siga o iG Cultura no Twitter

Sobre o relacionamento que mantém com os ex-colegas de banda, Lee é direto: "Eu falo com o Thurston e a Kim, eles não falam muito entre si, mas minha relação com ambos é boa. Acho que todos estão fazendo coisas que nos deixam felizes no momento e ninguém pensa sobre (o grupo) e nem está preocupado com o Sonic Youth agora", conta em entrevista ao iG

Lee Ranaldo and The Dust

Depois de uma fase de discos solos "experimentais e de sonoridade abstrata", o melódico grupo Lee Ranaldo and the Dust - que conta com o amigo Steve Shelley, ex-Sonic Youth, na bateria - mostra as canções do disco "Between the Times and the Tides", lançado em 2012. O guitarrista explica que ter Steve no projeto foi muito natural. "Nós sempre fizemos coisas juntos com o Sonic Youth e fora. Ele estava por perto no estúdio quando comecei a desenvolver o disco. Achei que fossem ser apenas guitarras acústicas, mas então pedi para ele tocar em algumas músicas e começou assim, bem suave."

Em outubro de 2013, deve ser lançado seu próximo álbum com o The Dust pela gravadora Matador. O nome escolhido é "Last Night on Earth" e traz faixas inéditas compostas por Lee em parceria com o grupo. "Depois de fazer o primeiro (disco) com a ajuda de muitas pessoas, o segundo tem mais união da banda". No grupo ainda estão Alan Licht (guitarra) e Tim Luntzel (baixo), com quem Lee tem tocado há aproximadamente um ano e meio. "Ainda são minhas composições, mas sinto que neste disco houve mais espaço para a banda se envolver."

Experimento de guitarra e cinema

Lee Ranaldo e Leah Singer
Divulgação
Lee Ranaldo e Leah Singer

Com a artista multimídia Leah Singer, Lee mostra um lado "cinematográfico com guitarras" no projeto Sight Unseen. Visto uma vez no Brasil em Belo Horizonte, em 2012, o show experimental será exibido em São Paulo nesta terça e quarta. "Minha mulher faz os filmes e eu faço as músicas ao vivo. É uma experiência cinematográfica, tem minha guitarra suspensa por uma corda e balançando sobre o público. É um experimento de guitarra e cinema", descreve.

Depois de 30 anos de trabalho ao lado do Sonic Youth e de ter lançado, paralelamente, uma discografia de temática abstrata, as melodias feitas com o The Dust tornam o trabalho de Lee mais acessível. "Fiquei trabalhando as músicas do Sonic Youth por tantos anos mais do que qualquer outra coisa e, de repente, comecei a compor eu mesmo e pouco depois disso o Sonic parou de tocar. Não sei se é mais fácil agora, não sei se essa seria a palavra. De certo modo, nesse tempo todo fiz músicas que eram mais experimentais e abstratas. Considero que gravar é um experimento também."

Lee Ranaldo e Leah Singer - Sight Unseen
Sesc Pompeia (r. Clélia, 93, São Paulo)
Dias 23 e 24 de julho, às 21h
Ingressos esgotados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.