Barato ou de graça: São Paulo oferece alternativas aos shows caros

Por Juliana Simon , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Três apresentações mostram saídas para aproveitar boa música longe dos ingressos inflacionados

AgNews
O músico Jorge Drexler

Nos últimos anos, os fãs de música estão sofrendo com preços abusivos para atrações não só vindas de fora como também de consagrados artistas nacionais. Porém, ainda é possível apreciar os mesmos shows dos eventos mais caros.

A cidade recebe entre maio e junho três atrações econômicas e imperdíveis. Curiosamente, duas delas são frutos do acaso. Na quarta (15) e na quinta (16), o Bourbon Street Music Club recebeu o uruguaio Jorge Drexler, com ingressos esgotados que custavam até R$ 150. Neste domingo (19), porém, o mesmo show acontecerá de graça no encerramento da Virada Cultural, às 18h no palco Júlio Prestes. O músico foi chamado às pressas após o cancelamento do músico cubano Eliades Ochoa.

Uma das atrações que estava entre as mais aguardadas do Sónar 2013, a banda americana de pós-rock Explosions in the Sky teve o show frustrado pelo cancelamento do festival. Porém, procurado pela produção da banda, o Sesc Belenzinho receberá a apresentação nos dias 22 e 23 deste mês. Os ingressos, já esgotados, saíram por até R$ 32.

Siga o iG Cultura no Twitter

No começo de junho, mais um achado. Além da programação paga, com ingressos de até R$ 140 também esgotados, o BMW Jazz Festival traz pelo terceiro ano um show de graça. Às 17h do domingo (dia 9), o guitarrista Pat Metheny se apresenta com a Unity Band ao ar livre, na parte externa do Auditório Ibirapuera.

Longe das especulações e da histeria das grandes produções, não por coincidência, os mesmos locais abrigam programações boas e baratas durante o restante do ano. Segundo o Núcleo de Apresentações Artísticas do Sesc, a vinda da Explosions in the Sky e de outros shows internacionais foi uma questão de oportunidade. “Procuramos acompanhar a programação dos festivais e a vinda de grupos internacionais para outras cidades do Brasil ou da América Latina. Isso muitas vezes permite compartilhar despesas para viabilizar a realização de alguns shows”.

Edson Natale, gerente do núcleo de música do Auditório Ibirapuera esclarece que, desde setembro de 2011, com a casa gerida pelo Itaú Cultural, os preços nas programações de sexta-feira a domingo foram reduzidos de R$ 15 e R$ 30 para R$ 10 e R$ 20. “Isso permite que possamos manter as entradas a valores muito acessíveis.”

“Com essa conexão conseguimos receber músicos e grupos como Elomar, Gilberto Gil, Fabiana Cozza, Palavra Cantada, Orquestra Sinfônica de Berlim, OSESP com Nelson Freire, Odair José, Cauby Peixoto, Tulipa Ruiz e tantos outros. A mesma experiência nos facilita incluir na programação outros gêneros da arte, como o cinema, a dança e o teatro. Tudo isso para que possamos receber todos os públicos”, diz Natale.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas