10 discos quarentões que mudaram a música

Por Juliana Simon , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

De "Dark Side of the Moon" a "Secos & Molhados", veja lista com álbuns clássicos lançados em 1973

Do rock à MPB, 2013 marca o aniversário de 40 anos de discos históricos lançados no Brasil e no mundo. O iG selecionou alguns desses álbuns que, mesmo quarentões, não perderam o vigor.

Siga o iG Cultura no Twitter

O vocalista Iggy Pop. Foto: ReutersA banda Pink Floyd. Foto: Getty ImagesO cantor David Bowie. Foto: Getty ImagesO cantor Bob Marley. Foto: DivulgaçãoO compositor Tom Jobim. Foto: DivulgaçãoO cantor e compositor Luiz Melodia. Foto: Augusto GomesRaul Seixas em 1989. Foto: AENey Matogrosso e os Secos & Molhados. Foto: AEO cantor Marvin Gaye. Foto: - DivulgaçãoO músico Paul McCartney. Foto: Marcos Hermes/Divulgação

"Raw Power" - Iggy & The Stooges
O último álbum da trilogia de Iggy & The Stooges - após “The Stooges” e “Fun House” – mostrou o que o grupo tinha de mais pesado. Presente nas listas de favoritos de dez entre dez roqueiros, o disco foi produzido no limite, com Iggy já afundado no vício em heroína. Nesses 40 anos influenciou diversas bandas como Smiths e Nirvana. Lançado em 7 de fevereiro de 1973.

Destaque: “Search And Destroy"

"The Dark Side of the Moon" - Pink Floyd
O disco marca uma nova e definitiva fase no Pink Floyd e é considerado um dos álbuns essenciais da história do rock. Conceitual e repleto de interpretações para tirar o sono de qualquer fã. A mais conhecida delas é a suposta sincronia entre as músicas e o filme “O Mágico de Oz”, fato nunca confirmado pela banda. É o segundo álbum mais vendido de todos os tempos, só perdendo para “Thriller”, de Michael Jackson. Lançado em 24 de março de 1973.

Destaques: “Money”, “Eclipse” e “Brain Damage”

"Alladin Sane" - David Bowie
A capa superou o conteúdo do álbum, considerado uma evolução com menos graça do trabalho anterior “The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars”. A foto do rosto de Bowie com um raio – criação de Brian Duffy - rodou o planeta e é considerada uma das imagens mais icônicas da história do rock. O disco foi lançado em 12 de abril de 1973.

Destaques: “The Jean Genie” , “Let's Spend the Night Together” (cover do Rolling Stones)
e "Drive-In Saturday”

"Catch A Fire" - Bob Marley & The Wailers
Apesar de ter sido formada 11 anos antes, a banda Bob Marley & The Wailers só conquistou o sucesso em 1973. Com letras militantes e hits imediatos, o álbum colocou o reggae na história da música mundial e Marley como seu maior representante. Sua capa controversa – com Bob Marley fumando um enorme cigarro de maconha – tornou-se ícone. Lançado em 13 de abril de 1973.

Destaques: “Concrete Jungle”, “Stir It Up” e “Kinky Reggae”

"Matita Perê" - Tom Jobim
Tom Jobim já estava consagrado como mestre da bossa nova. Decidiu ousar com um disco orquestral que abrigou uma das maiores canções da música brasileira e mundial. Há 40 anos surgia “Águas de Março”, que ganharia regravação ainda mais famosa no ano seguinte, com Tom e Elis Regina. Lançado em 8 de maio de 1973.

Destaques: “Águas de Março”, “Ana Luiza” e “Matita Perê”

"Pérola Negra" - Luiz Melodia
Com composições célebres na voz de outros cantores, como “Pérola Negra” (com Gal Costa) e “Estácio, Holly Estácio” (com Maria Bethânia), Luiz Melodia temperou a música brasileira no seu primeiro LP solo. As interpretações passeiam entre o samba, a Jovem Guarda e o forró. Lançado em junho de 1973.

Destaques: “Estácio, Holly Estácio”, “Pérola Negra” e “Magrelinha”

"Krig-há, bandolo!" - Raul Seixas
Outra importante estreia do rock brasileiro e o surgimento de mais um rockstar nacional. Debochar da ditadura era só uma das loucuras do seu primeiro álbum solo. O esoterismo que daria origem à Sociedade Alternativa já estava lá. Lançado em 21 de julho de 1973.

Destaques: “Mosca na Sopa”, “Metamorfose Ambulante” e “Al Capone”

"Secos & Molhados" - Secos & Molhados
Rock ousado, caras pintadas e figurinos exóticos. Ney Matogrosso explodia como um dos maiores compositores e intérpretes do Brasil. O álbum de estreia do grupo é considerado, até hoje, um dos melhores da música nacional. Os boatos que a banda teria inspirado o visual da banda norte-americana Kiss só tornam tudo mais histórico. Lançado em 10 de agosto de 1973.

Destaques: “Sangue Latino”, “O Vira” e “Rosa de Hiroshima”

"Let’s Get It On" - Marvin Gaye
Até então conhecido como o “príncipe da Motown”, após 11 discos Marvin Gaye deixa a sonoridade da histórica gravadora e as músicas de protesto e se dedica a um novo estilo, mais do que sensual, sexual. O apelo é imediato e o álbum desponta como o seu maior sucesso, um dos principais trabalhos do soul e resiste como hit eterno das músicas de motel. Lançado em 28 de agosto de 1973.

Destaques: "Let's Get It On", "Come Get to This" e "You Sure Love to Ball"

"Band On The Run" - Paul McCartney & Wings
Junto com a banda Wings, Paul McCartney revê o sucesso pela primeira vez após o fim dos Beatles. Nada comparado ao impacto do quarteto, obviamente, mas ainda assim a fase mais criativa na carreira do cantor sem a companhia de Lennon, Ringo e Harrison. Em 2010, o disco foi remasterizado e relançado. Alguns dos hits deste trabalho compõem o repertório do cantor 40 anos depois. Lançado em 7 de dezembro de 1973.

Destaques: “Band on the Run”, “Jet” e “Let Me Roll It”

Leia tudo sobre: música

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas